O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), falou nesta quarta-feira (2) à imprensa sobre a série de problemas registrados no ferry boat de Guaratuba, no Litoral, e descartou a interrupção imediata do contrato com a empresa responsável pelo transporte desde abril do ano passado, a BR Travessias.

+Relembre! Trapiche flutuante do ferryboat afunda e complica travessia em Guaratuba. Assista!

“O serviço continua acontecendo, não na excelência que nós gostaríamos, mas continua acontecendo. Não tem como trocar de empresa em pleno verão. Nós temos que esperar. Não se acha uma empresa do dia para noite para ser substituída. Tem que ter um cronograma, uma licitação. Mesmo de forma emergencial é necessário seguir um rito que a lei nos exige”, disse ele, ao ser questionado sobre o tema na Assembleia Legislativa, onde participou da reabertura dos trabalhos na Casa. O Ferryboat, inclusive, é um dos grandes desafios de Ratinho Jr se ele quiser disputar a reeleição em 2022.

“Eu não posso deixar a travessia de Guaratuba e Matinhos sem balsa. Mesmo de forma precária, nós temos que trabalhar para que a empresa fique até terminar o verão. Depois, faremos uma análise”, reforçou o governador.

Ratinho Junior acrescentou que a construção da ponte ligando os municípios está sendo tratada como prioridade. “Solução só tem uma: é a ponte. Qualquer outra solução é paliativa. O ferry boat é um problema há 30 anos no Paraná, não é de agora. A baía de Guaratuba tem uma capacidade de transporte de carros, a própria Marinha dá este limite. Você não pode colocar 10, 15 balsas, porque você tem o transporte de pescador, outras embarcações. Então é como uma rodovia, tem as suas regras”, disse ele.

Pantanal

Juma atira nos pés de Jove

Loterias

Veja o resultado das loterias desta terça-feira!

Inverno Chegou

Veja como será o primeiro dia de inverno em Curitiba

Além da Ilusão

Lorenzo declara seu amor por Letícia