A preocupação com o possível desabastecimento de combustíveis em postos de gasolina do Paraná, por causa dos pontos de paralisação de caminhoneiros nas estradas do estado, entrou no horizonte dos consumidores e autoridades com os atos de protesto do feriado de terça-feira (7). Até a manhã desta quinta-feira (9), não havia relatos de falta de combustível nas cidades paranaenses, incluindo Curitiba e região metropolitana. No entanto, desabastecimentos pontuais podem ocorrer se o consumidor se precipitar e promover correria às bombas.

A informação é do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, derivados de Petróleo, Gás Natural, Biocombustíveis e Lojas de Conveniência do Estado do Paraná (Paranapetro), que divulgou uma nota informativa sobre o assunto por volta do meio-dia desta quinta. “Não recebemos registros de desabastecimento de combustíveis em nenhuma região do Paraná. O que pode ocorrer são casos pontuais em alguns postos”, diz o texto, referindo-se a uma possível procura exagerada aos postos. 

LEIA TAMBÉM:

>> Um dos cruzamentos mais importantes de Curitiba entra em obras na segunda-feira

>> Moradora de Curitiba leva prêmio de R$ 1 milhão do Nota Paraná nesta quinta-feira

Segundo o Paranapetro, mesmo com as filas de caminhões observadas pelas rodovias paranaenses, a expectativa é de que as manifestações não se intensifiquem. “Diante disso, é importante que a população faça um consumo consciente. Uma corrida aos postos, com vendas muito acima do normal, pode gerar falta do produto em determinadas regiões”, reforça a diretoria da entidade.

Leia a nota completa da Paranapetro no link.

Risco de bloqueios

Da manhã desta quinta-feira até o início da tarde, foram registrados mais de 10 trechos de rodovias do Paraná com lentidão no tráfego e restrição para circulação de veículos de carga. As informações foram divulgadas pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

Segundo a PRE, há equipes de policiais espalhados pelos locais para garantir que os caminhoneiros que não querem participar das manifestações possam circular normalmente. A informação de que a adesão aos atos é facultativa. Outros veículos estão sendo liberados, como os de cargas vivas ou perecíveis, ambulâncias e veículos de passeio. 

Na região próxima de Curitiba, por exemplo, até por volta das 13h30 desta quinta-feira, havia protestos em quatro locais: 

Almirante Tamandaré – PR-092

É a chamada Rodovia dos Minérios. O bloqueio é na altura do km 20, no acesso para Itaperuçu, região metropolitana de Curitiba. Segundo as equipes da polícia, há cerca de 50 caminhões parados por ali. Podem passar cargas de alimentos, combustíveis e carga viva.

Ponta Grossa – BR-376

Caminhoneiros fazem bloqueio para a passagem de veículos de carga na altura do km 502. Podem passar perecíveis e cargas vivas. Carros estão sendo liberados. As informações da PRF apontam que também podem passar os veículos de qualquer carga que não quiserem aderir ao movimento.

São Mateus do Sul e União da Vitória – BR-476

A informação é de que há restrição para veículos de carga na altura do km 285 e km 357.

Conforme informou a PRF logo após o almoço, há pontos com concentração de manifestantes nas seguintes rodovias e trechos:

  • BR-369, em Andirá
  • BR-277, em Campo Largo
  • BR-369, em Santa Mariana
  • BR-369, em Londrina
  • BR-373, em Guamiranga
  • BR-376, em Paranavaí
  • BR-376, em Mandaguaçu
  • BR-376, em Marialva
  • PR-182, em Realeza
  • Entrada da cidade de Nova Prata do Iguaçu
  • PR-280, em Marmeleiro
  • PR-280, em Clevelândia
  • PR-280, em Mariópolis
  • Trevo de Mangueirinha
  • PR-180, em Francisco Beltrão
  • PR 151, km 216 e 223, em Jaguariaíva
  • BR-373, em Coronel Vivida

Web Stories

Gigante!!

Nova Havan será quatro vezes maior que a loja que será abandonada em Curitiba

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz vai saber dizer!

Malhação Sonhos

Nat impede que Duca enfrente Lobão

Lindas!

Cinco árvores exóticas e raras de Curitiba