O beijo pode ser mais que carinho entre duas pessoas: é também a troca de diversos tipos de vírus, sendo o da mononucleos um dos mais comuns. A infecção, conhecida como doença do beijo, acontece quando uma pessoa, em fase de eliminação do vírus, entra em contato com outra com um ferimento na boca.

Estima-se que mais de 90% da população adulta entrou em contato com o vírus da mononucleose uma vez na vida, mas nem todo mundo desenvolve a doença, ou sabe que o vírus está no organismo.

Para evitar a transmissão, especialistas indicam sempre higiene e bom senso. Se perceber que a pessoa amada está com uma ferida na boca ou qualquer tipo de sangramento, deixe o beijo para outro momento.

Conheça um pouco mais da doença do beijo e evite a infecção nesse Dia do Beijo, lembrado na sexta-feira (13):

O que é a doença do beijo?

Trata-se do nome popular antigo da mononucleose infecciosa. A mononucleose é uma doença causada por um vírus que tem por característica continuar no organismo, mesmo depois dos sintomas. O vírus permanece na garganta ou nas amígdalas do indivíduo que, periodicamente, o elimina pela saliva.

Quando eu posso pegar a doença do beijo?

Se você entrar em contato com uma pessoa que está eliminando o vírus, ainda que não esteja doente naquele momento, poderá adquirir a infecção. Até mesmo uma criança pequena pode pegar a doença se entrar em contato com uma gotícula da saliva do adulto ou outra criança que esteja em fase de transmissão do vírus.

Quais são os principais sintomas?

Febre, dor de garganta e aumento dos linfonodos – gânglios ou ínguas – na região do pescoço são sintomas mais comuns em adolescentes e adultos jovens, entre os 15 e 25 anos. Fique atento também se aparecem manchas vermelhas pelo corpo. A doença é capaz ainda de causar um aumento do fígado e do baço.

Esses sintomas tendem a durar entre duas a três semanas. Nos jovens a manifestação da doença é mais leve. Nos mais velhos, mais intensa.

Como é feito o tratamento?

Como não existe um remédio específico que cure a doença, são tratados os sintomas. Especialistas indicam repouso, porque a pessoa pode sentir fadiga e indisposição. Se houver aumento do baço, o descanso é fundamental, pois no caso de uma batida, o órgão pode se romper.

Outras doenças transmitidas pela boca

Não é só a mononucleose — há patologias que também podem ser transmitidas pelo contato íntimo, beijo ou mesmo compartilhamento de utensílios contaminados.

Uma delas é a herpes, causado por um vírus da mesma família da mononucleose. Da mesma forma também, o vírus da herpes simples Tipo 1 persiste por toda a vida das pessoas que tiveram a infecção. A cada cinco pessoas, uma vai apresentar lesões de herpes de forma recorrente.