Uma baleia jubarte jovem, de cerca de sete metros de comprimento, é a terceira a encalhar em Pontal do Sul, Litoral do Paraná, em 18 dias. Antes do encalhe, ela foi avistada sem vida boiando no mar no final da tarde de quinta-feira (29), mas só chegou à beira da praia na sexta-feira (30). A equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR (LEC-UFPR), via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), se deslocou ao local para registro e coleta de materiais biológicos que permitirão avaliar a condição de saúde do animal e a possível causa da morte.

Segundo informou o LEC, foi necessário aguardar melhores condições oceanográficas para garantir o encalhe em área que facilitasse a necropsia. Para a ação, a equipe contou com o apoio da Secretaria de Obras e Secretaria de Meio Ambiente da prefeitura de Pontal do Paraná, as quais, segundo o LEC, forneceram uma retroescavadeira para retirar a carcaça da baleia da linha de maré e para enterrá-la após o trabalho da equipe de necropsia.

LEIA TAMBÉM:

>> Paraná flexibiliza toque de recolher e aumenta quantidade de público em eventos

>> Três navios são isolados em Paranaguá após tripulantes testarem positivo para covid

Esta é a sétima baleia jubarte encalhada nas praias do Paraná este ano, sendo uma registrada na Ilha do Mel, duas na Ilha do Superagui, duas em Pontal do Paraná, e duas em Guaratuba. Desde o início do trabalho do PMP-BS, em 2015, já foram registrados encalhes de 19 baleias da mesma espécie no litoral paranaense, incluindo animais adultos e jovens.

No dia 13, na praia do Balneário Shangrilá, também em Pontal, foi econtrada uma fêmea juvenil, com esqueleto completo, medindo aproximadamente sete metros. No último domingo (25), na praia deserta da ilha do Parque Nacional de Superagui, outra baleia foi encontrada e pesquisadores do LEC foram acionados para o resgate.