O Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Alto da Glória, está com as celebrações presenciais suspensas há 13 meses por conta da pandemia de coronavírus. Com a paralisação, o santuário viu desaparecer um fluxo de 30 mil pessoas que passavam pelo local nas novenas de quarta-feira, ao longo dos 17 horários de celebração.

A última novena presencial foi no dia 11 de março de 2020, um pouco antes dos primeiros casos de coronavírus serem confirmados na capital paranaense. No entanto, a tradicional cerimônia nunca deixou de acontecer com as transmitidas pela internet que foram adotadas desde 2015. Sem as celebrações presenciais, o público virtual aumentou de 14 mil inscritos no canal do YouTube do santuário no início de 2020 para agora com mais de 37 mil.

LEIA TAMBÉM:

>> Pastor Eduardo Zdrojewski morre aos 82 anos vítima de covid-19 em Curitiba

>> Monsenhor Luciano Kmieciak morre vítima de covid-19 em Curitiba

“Antes da pandemia tínhamos, em média, 4 mil visualizações nas quartas-feira e hoje temos em torno de 16 mil visualizações no YouTube e 8 mil visualizações no Facebook. Mesmo assim, é difícil mensurar completamente o público que continua acompanhando as novenas, pois também fazemos a transmissão pela nossa webrádio e por rádios parceiras”, afirma Rubhia Morais, responsável pela comunicação do santuário.

Embora o local siga com as portas abertas para visitação de fiéis, o fluxo menor de pessoas impactou no volume de receitas e doações. Ainda assim, projetos sociais como o café solidário, que é oferecido para até 100 pessoas carentes todas as tardes de segunda a sábado, no centro redentorista ligado ao santuário, também não foram pausados.

“Enfrentamos uma dificuldade financeira visível, mas mesmo ao longo da pandemia pudemos contar ainda com a ajuda dos dizimistas. É o que tem mantido as nossas ações e os nossos funcionários”, afirma o padre Celso Vieira da Cruz, pároco do santuário. Aliás, o pároco chegou a ser infectado pela doença pela covid-19 em julho do ano passado e chegou a ser intubado.  Outros cinco sacerdotes que moravam na mesma casa também se infectaram com a doença, mas desenvolveram apenas sintomas leves.

Sem previsão de retorno das novenas presenciais

Seguindo os decretos, o santuário retomou a realização de missas nos dias da semana com ocupação de até 15% do local. As novenas e missas de domingo ainda não têm retorno confirmado. “A procura pelas missas de domingo e novenas de quarta são sempre muito grandes e nós não temos condições, e nem tenho vontade, de barrar a entrada de pessoas no momento em que atingirmos 15%. Enquanto não tivermos condições sanitárias de ocupar 50% do santuário, não devemos retomar novenas presenciais”, relatou o padre Celso Vieira da Cruz.