A prefeitura de Curitiba espera assinar nos próximos dias o contrato para financiamento do principal projeto da atual gestão para o transporte coletivo. O novo Inter 2 terá investimentos da ordem de US$ 133,4 milhões (aproximadamente R$ 700 milhões), sendo US$ 106,7 milhões financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e US$ 26,7 milhões de contrapartidas do município. Os recursos vão bancar a ampliação de uma das principais linhas de ônibus da cidade e uma série de melhorias no trajeto.

+Leia mais! Novo Inter 2 será para “os ‘millennials’, piás e meninas que nasceram depois do ano 2000”, ressalta Greca

No último dia 16 de novembro, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) despacho do secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues Junior, autorizando a garantia do governo federal para o financiamento do BID. Com isso, a expectativa do governo municipal é que a assinatura do contrato com o banco seja assinado ainda este ano, até o fim do mês.

O que prevê o projeto

O Projeto do Aumento da Capacidade e Velocidade da Linha Direta Inter 2 prevê a inserção de veículos elétricos, melhoria da infraestrutura viária e de equipamentos para o aumento da velocidade operacional e a ampliação da capacidade do Ligeirinho Inter 2 e do Interbairros II. As duas linhas, que totalizam 38 quilômetros de extensão e passam por 28 bairros, deverão passar dos atuais 155 mil passageiros transportados diariamente para 181 mil.

+Viu essa? ‘Novo’ Inter 2 prevê várias intervenções urbanas em Curitiba e vai ouvir o povão

Novo Inter 2 terá também uma nova “estação tubo”. Foto: Reprodução/Ippuc.

Entre as obras previstas no projeto estão a abertura e requalificação de 70 quilômetros de vias; implantação de 30 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus; construção do novo Terminal Capão da Imbuia, do miniterminal do Santa Quitéria e quatro novas estações; reconstrução dos terminais Campina do Siqueira e Hauer; construção de uma nova ponte sobre o rio Belém e dois novos viadutos – um na avenida Victor Ferreira do Amaral, na divisa com Pinhais, e outro no Novo Mundo, fazendo integração com a Linha Verde.

O novo Inter 2 prevê ainda a substituição das tradicionais estações tubo por novos modelos, climatizados e preparados para receber veículos de propulsão elétrica. Além disso, as estações serão autossustentáveis, equipadas com placas fotovoltaicas.

De acordo com a prefeitura de Curitiba, os primeiros lotes dos projetos executivos do Inter 2 já foram contratados e estão em fase de execução. Quanto à conclusão do projeto em sua totalidade, a previsão inicial é de que isso aconteça em 2025.

O novo Inter 2 terá investimentos da ordem de US$ 133,4 milhões (aproximadamente R$ 700 milhões) Foto: Reprodução/Ippuc.