Uma campanha de arrecadação coordenada pelo deputado estadual Goura e pela Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná está arrecadando doações e dinheiro para prestar auxílio às 311 famílias que foram retiradas de uma invasão no bairro Tatuquara, na divisa entre Curitiba e Araucária. As pessoas ocupavam um terreno particular, que foi desocupado numa ação de reintegração de posse.

Quem se sensibilizou com o drama das famílias pode levar roupas, alimentos, colchãoes, roupas de cama, itens de higiene e outros tipos de mantimentos para a sede da OAB, em Curitiba, na Rua Brasilino de Moura, 253, Bairro Ahú. Para doações em dinheiro, os interessados podem entrar em contato pelo telefone (41) 99999-9816 ou pelo instagram.com/projetoajude_.

+ Leia mais: “Eu peço pelo bom senso de não ir às praias neste momento”, apela secretário Beto Preto

O caso

Na manhã desta quinta-feira (17) as famílias que ocupavam este terreno foram surpreendidas por centenas de policiais militares e agentes do Corpo de Bombeiros, além de um oficial de Justiça e representantes das prefeituras de Curitiba e Araucária. A ação aconteceu de forma pacífica. Os policiais alertaram as lideranças e moradores, que começaram a retirar seus pertences.

Uma mulher passou mal durante a ação e falou com a reportagem da RPC. “Não tínhamos para onde ir. Meu marido é de idade e não consegue emprego na pandemia. É triste ver suas coisas indo embora numa caçamba, sem termos para onde ir”, disse a mulher que se identificou como Maria. A situação das pessoas que invadiram o local é semelhante na maioria dos casos.

+ Veja também: Casos ativos de coronavírus em Curitiba somam 12 mil; 87 mil já se curaram

O deputado Goura, que foi candidato a prefeito de Curitiba nas eleições deste ano, criticou a desocupação às vésperas do Natal. “Desumano e inaceitável o que aconteceu na manhã desta quinta-feira (17) na Cidade Industrial de Curitiba. Mais de 300 famílias tiveram suas casas destruídas na região do Sabará, em plena véspera de Natal e no auge da pandemia no Paraná. Pra piorar, o despejo aconteceu sem qualquer forma de assistência social ou apoio por parte do poder público”, disse.

A Prefeitura de Curitiba disse que as famílias serão encaminhadas para a COHAB para tentar um novo espaço para residirem. A Prefeitura de Araucária também enviou funcionários para cadastrar famílias para auxiliar no cadastramento.