A Odebrecht iniciou nesta quarta-feira (18) os trabalhos preliminares para retomada das obras de duplicação do trecho de 4,74 quilômetros da PR-092, conhecida como Rodovia dos Minérios, entre Curitiba e Almirante Tamandaré. Uma das rodovias mais violentas do Paraná, a Rodovia dos Minérios é palco constante de acidentes com mortes, como o registrado entre um carro e um ônibus em agosto que vitimou três pessoas.

Segundo a Prefeitura de Almirante Tamandaré, o canteiro principal onde foi abrigado o escritório administrativo já está em funcionamento e foram iniciados serviços de levantamento topográfico. Foram mobilizados alguns equipamentos de grande porte, como caminhões, motoniveladora e carregadeira. Estima-se que no próximo mês de janeiro um efetivo de mais de 40 profissionais sejam contratados para a execução dos serviços. No total, a obra deve promover a criação de 300 postos de trabalho, que serão destinados prioritariamente para mão de obra local.

+ Leia mais: Após repercussão, prefeito de Araucária veta aumento para vereadores

Na fase inicial, segundo a prefeitura, os trabalhos estarão concentrados em fundações de pontes, levantamentos topográficos, supressão vegetal (exclusivamente das áreas devidamente licenciadas), além da remoção de interferências com o apoio de parceiros locais como Copel e Sanepar. A obra será executada basicamente no sentido Curitiba/Almirante Tamandaré e toda a extensão do traçado será devidamente sinalizada, com alguns desvios de tráfego em pontos localizados.

A Odebrecht, envolvida no esquema investigado pela Lava Jato, retomou o direito a participar de licitações e contratos com o poder público em 2017, após fechar acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF). Ela assumiu a obra após uma decisão judicial declarar o então vencedor da licitação, Consórcio Triunfo-TCE, ter sido desqualificado.

Intervenções

No escopo da obra estão contemplados: execução de dez pontes, quatro viadutos, uma passarela de pedestres e 15 obras de contenções. Serão aproximadamente 500 mil metros cúbicos de movimento de terra e 40 mil metros cúbicos de concreto a serem utilizados. A previsão é que a obra seja concluída em 24 meses.

A licitação é apenas um capítulo de uma novela ainda mais antiga. Em 2013, a duplicação de 28,7 quilômetros da Rodovia dos Minérios chegou a ser anunciada pelo governo, que previa o início da obra para 2014. A empresa Votorantim, que tem uma fábrica de cimento na região, faria a obra em troca de benefícios fiscais, com pavimento em cimento. Mas a empresa acabou desistindo do projeto.

Em agosto ela chegou a ser interditada pela população em protesto contra a demora no fim desta novela e pelas mortes na rodovia.