O Zoológico de Curitiba ganhou uma nova moradora nesta quinta-feira (14). Uma onça-parda filhote, atropelada no Norte do Paraná e tratada pelo Centro de Apoio à Fauna Silvestre (Cafs) de Londrina, vai ganhar um novo recinto na unidade de conservação do Alto Boqueirão.  

LEIA TAMBÉM:

> “Match” de onça-pintada faz sucesso nas redes; felino de Sorocaba encontra par em Curitiba

> Praça da Espanha, local de encontro da galera de Curitiba, também é lar para periquitos. Saiba o motivo

A destinação do animal foi feita pelo Instituto Água e Terra (IAT), do Governo do Estado, já que ela não tem mais condições de viver na natureza. “Por se tratar de um filhote e ainda ter pequenas sequelas neurológicas do acidente, ela não iria conseguir sobreviver”, afirmou a chefe do Setor de Fauna do IAT, bióloga Paula Vidolin.

O Zoo foi escolhido por ter espaço físico e equipe capacitada para o tratamento da onça-parda, também conhecida como puma ou sussuaruna. O novo recinto será adequado às suas necessidades, com área aberta e espaço para manejo e fornecimento de alimentação balanceada.

Fotos: Ricardo Marajó/SMCS

Antes de conhecer os visitantes, ela vai passar por um período de quarentena e adaptação no setor extra do Zoo, fora de exposição. “São cerca de três semanas, pelo menos, para que o animal possa se ambientar, conhecer a equipe e, principalmente, para reduzir riscos de introdução de patógenos no plantel”, explicou o diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba, Edson Evaristo. 

“Embora diversos exames já tenham sido feitos antes do embarque, o isolamento e a supervisão clínica fazem parte do protocolo de entrada de animais no Zoo de Curitiba”, completou.

Cuidados necessários

De acordo com a chefe do Zoo, Ana Silvia Passerino, no recinto definitivo ela terá espaço para se exercitar e o acompanhamento da equipe técnica.

VIU ESSA? Vento em Curitiba chama atenção e causa estragos na cidade. Entenda o motivo das fortes rajadas

“No espaço, condizente com o seu porte, ela poderá se deslocar, terá estímulo das atividades de enriquecimento ambiental, cuidados e alimentação balanceada”, afirmou a chefe do Zoológico.

Em breve, além de conhecer a nova moradora e mais sobre a sua espécie, os curitibinhas poderão escolher seu nome em um concurso promovido pelo IAT e pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo. 

Atropelamentos são risco para a espécie

É a segunda vez que uma filhote de onça-parda é destinado ao Zoo de Curitiba após atropelamento. Desta vez, o animal foi encontrado às margens da rodovia PR-151, próximo ao município de Ribeirão Claro, no Norte Pioneiro. O Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde (BPAmb) encaminhou a onça ao Cafs Unifil para atendimento médico-veterinário. 

LEIA AINDA – Vídeo flagra atropelamento de pelo menos 20 capivaras no Paraná; polícia caça motorista

Ela foi submetida a uma cirurgia com células-tronco no Cafs, no Hospital Universitário Veterinário da Unifil. Após o tratamento, que incluiu a cirurgia com células-tronco, o IAT definiu o Zoológico de Curitiba como destino da onça-parda

A primeira vítima de atropelamento a encontrar abrigo na instituição de Curitiba foi Juma, ainda em 2013, que sofreu o acidente em Goiás e veio encaminhada pelo Ibama. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a ampliação da malha rodoviária, que causa fragmentação dos habitats e aumenta chances de atropelamentos, é um risco para a espécie. 

Whatsapp da Tribuna do Paraná

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!

Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.