Por pouco a tentativa de ganhar um “extra” não termina em confusão. Uma transportadora do bairro Boqueirão, em Curitiba, foi contratada de maneira emergencial para carregar algumas encomendas durante a greve dos caminhoneiros. Um ônibus foi deslocado para uma indústria na região do CIC, mas foi impedido de deixar o local após o “vazamento” de fotos que mostravam a tentativa de furar a paralisação.

“Assim que vimos as fotos, mandamos descarregar e retornar com o ônibus para a sede da empresa, pois não sabíamos do que se tratava”, disse um representante da empresa que atendeu a reportagem, mas preferiu não se identificar. Diferente do que propagado, o ônibus não chegou a ir para as ruas e nem foi parado em blitz.

+ Leia mais:

Greca volta atrás e cancela temporariamente redução da frota de ônibus

Curitibanos fazem fila em postos de combustíveis pra abastecer enquanto dá

Nossa Feira é suspensa. Sacolões e Armazém da família também podem fechar por desabastecimento

Combustível acaba em parte da RMC com a greve dos caminhoneiros. Pode faltar comida

Motoboys e motoristas de app se unem a caminhoneiros em protesto

Também pelo Whatsapp vários caminhoneiros se revoltaram com a tentativa de furar o bloqueio. Rapidamente o motorista do ônibus foi identificado e ameaças começaram a surgir. Em um dos arquivos, um dos organizadores do movimento em Curitiba diz que a luta é por todos os caminhoneiros e motoristas de ônibus, inclusive para este que tentou furar o bloqueio.

Segundo as ameaças, veículos da empresa estão sob risco de apedrejamento e vandalismo desde que se adotou a postura de furar com a paralisação.