A operação “Pane Seca”, que identificou e prendeu integrantes de duas quadrilhas suspeitas de fraude na venda e no abastecimento de combustível, que inicialmente era conduzida pelo Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep), agora ficará a cargo da Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon) da Polícia Civil do Paraná.

De acordo com o informe divulgado pela Secretaria de Segurança Pública (Sesp), a Delcon vai usar o inquérito feito pelo Diep como ponto de partida para dar continuidade ao caso. Uma investigação paralela, feita pela Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), apura a autoria da morte do presidente da Associação Brasileira de Combate a Fraudes de Combustíveis (ABCF), Fabrizzio Machado da Silva, 34 anos, alvejado por três tiros, na quinta-feira (23). Ele chegava em casa, no Capão da Imbuia, quando foi assassinado.

Operação

A ação deflagrada no último sábado (25) pelo Diep, prendeu seis pessoas integrantes de duas quadrilhas que fraudavam a quantidade de combustível que sai das bombas – gerando prejuízo aos motoristas e ganhos para as organizações criminosas. Outras seis pessoas são consideradas foragidas.

“A Delcon vai dar continuidade à investigação que foi muito bem conduzida pelo Diep. Está comprovada a fraude e a Delcon, que é especializada em crimes contra a economia e proteção ao consumidor vai aprofundar a ação desta quadrilha”, resumiu o secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita.

“Agora o momento exige uma atuação mais forte da polícia judiciária. A Delcon vai avaliar material apreendido, como funcionava as placas que fraudavam o abastecimento e encaminhá-las para perícia, realizar interrogatórios , cruzar informações, enfim, dar a devida continuidade ao que já foi apurado pelo Diep nesta operação”, completou o secretário.

Prioridade

O inquérito na Delcon ficará sob a responsabilidade do delegado titular Guilherme Rangel e vai tramitar de forma paralela à investigação da DHPP, que investiga a morte de Fabrizzio Machado. “São duas investigações paralelas que podem se encontrar ao longo do trabalho policial. A elucidação da morte do fiscal é uma prioridade das forças de segurança do Paraná”, disse Mesquita.