Estão abertas até o próximo dia 24 de março as inscrições para uma das 200 vagas oferecidas pela operadora Vivo em seu programa Mulheres em Áreas Técnicas. O objetivo da iniciativa é a inclusão de mais mão de obra feminina em serviços tradicionalmente realizado por homens, como reparos e instalações de telefone e internet na casa dos clientes.

As 200 novas vagas de emprego são distribuídas em doze estados: Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina, onde o programa já está implantado. Há vagas também para o Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Alagoas, Piauí e Distrito Federal, que passam a fazer parte do projeto.

No dia 29 de março, aniversário de Curitiba, a Vivo promove uma feira virtual para as interessadas, com a participação de profissionais da área, falando de suas experiências e esclarecendo dúvidas sobre a função.

Para participar, basta se inscrever através do >>> NESTE LINK <<<.

Para se candidatar à uma vaga, é preciso ter ensino médio completo e desejável ter experiência com telecom. Para o cargo de Instaladora, também é necessária CNH categoria B.

+ Leia mais: Tá procurando emprego? Vivo abre 400 vagas para Curitiba e RMC. Seleção é on-line

A empresa oferece todo o treinamento, com mais de 100 horas de capacitação. “Com nosso programa Mulheres em áreas Técnicas, buscamos ampliar as oportunidades para as mulheres que querem ingressar no mercado de trabalho ou mudar de atividade e possibilitar que elas sejam as profissionais que quiserem ser”, revela a VP de pessoas da Vivo, Niva Ribeiro.

Lançado em 2018 para impulsionar a presença feminina na área de Serviços ao Cliente, o programa conta hoje com mais de 100 mulheres e deve chegar a 300 com as novas contratações.

Entre as técnicas está Bruna Maria Menezes dos Santos, que registrou sua experiência com depoimento na sua página, em rede social. “Ouvia muitos homens falando: vai conseguir subir no poste? Vai conseguir carregar a escada?. Por mais que todas as vezes eu respondesse que “sim”, sempre ficava pensando, será que vou conseguir? E, hoje, posso dizer com toda autonomia e certeza. Sim! Eu consigo carregar escada e subir no poste! Somos mulheres de fibra”, comemorou Bruna.

+ Veja também: Áudio do WhatsApp com suposta fala de Márcia Huçulak é falso. Entenda!

As técnicas mulheres também são muito elogiadas pelos clientes pela segurança, educação e cuidados no atendimento. Em recente avaliação aplicada pela Vivo, o nível de satisfação de clientes atendidos por mulheres ficou próximo a 100%

Diversidade de Gênero

Em 2018, a Vivo lançou o Programa Vivo Diversidade, com os pilares Gênero, Raça, LGBT+ e Pessoas com Deficiência, e mais recentemente um programa para 50+, mantendo uma cultura inclusiva que busca dar oportunidades, formação e condições de trabalho para todos. Além de incluir a meta de diversidade de gênero no pool de bônus de seus executivos, a Vivo mantém programas de mentoria e aceleração de carreira para mulheres.

A marca integra a Coalização Empresarial pelo Fim da Violência contra Mulheres e Meninas. Atualmente, a empresa possui 25% de mulheres em seu Conselho de Administração e 30% em cargos de liderança.

Neste mês da mulher, a empresa promove o debate interno sobre a Síndrome da Impostora, um padrão de comportamento no qual as mulheres têm sentimentos impostores que dificultam o seu desenvolvimento. A iniciativa busca promover a autoconfiança nas mulheres e contribuir para que elas percebam seu potencial.