Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta terça-feira (12), em primeira votação, o orçamento da cidade para 2018. A Lei Orçamentária Anual (LOA) prevê receitas e despesas no valor de 8,7 bilhões em 2018 – considerando as operações intraorçamentárias – valor 0,8% maior que o orçamento de 2017. Durante a sessão plenária, os vereadores analisaram 493 emendas ao projeto feitas pelos próprios parlamentares, que somam cerca de R$ 31 milhões.

Além da LOA, os vereadores aprovaram também um projeto de alteração da Lei de Diretrizes Orçamentárias que reduziu em R$ 200 milhões o orçamento para o ano que vem, inicialmente previsto em R$ 8,9 bilhões.

O orçamento para o ano que vem prevê R$ 1,1 bilhão para a Educação e R$ 1,6 bilhão à Saúde. Como efeito do ajuste fiscal aprovado pela Câmara ao longo de 2017, a previsão de gastos com pessoal terá queda nominal de R$ 262 milhões, o equivalente a 6%. Com isso, o pagamento da folha, que respondeu por 54,4% das despesas de 2017, terá uma fatia de 52,7% em 2018.

Emendas

Os vereadores também votaram um total de 493 emendas à LOA, entre individuais e coletivas, e todas foram aprovadas. Entre as coletivas, estão emendas que destinam recursos a hospitais, como o Erasto Gaertner, Pequeno Príncipe,?Cajuru,?Evangélico, Santa Casa e Hospital do Trabalhador. Outras propostas beneficiam entidades, associações e projetos sociais. Individualmente, os vereadores também puderam apresentar emendas, que também tinham como foco ações variadas, em áreas como saúde, educação e urbanismo.

“Muitas delas são pontuais, as quais as comunidades demandam aos seus gabinetes. Esse é o momento em que esta Casa participa direta e efetivamente do orçamento da cidade”, disse o presidente da Câmara, Serginho do Posto (PSDB).