As ações de combate à violência contra as mulheres foram intensificadas em 2021, período de pandemia e isolamento social em que o número de casos do gênero aumentou em todo o mundo e acendeu o alerta quanto à segurança física e emocional das mulheres.

Na Casa da Mulher Brasileira, de janeiro a 18 de novembro de 2021, foram feitos 8.887 atendimentos, um aumento de 26% em relação ao período de março a dezembro de 2020, quando foram 7.005 atendimentos.

LEIA TAMBÉM:

>> Homem se afoga em praia de Guaratuba, é resgatado, mas não resiste

>> Cinco ‘pepinos’ que Rafael Greca terá para resolver em Curitiba em 2022

“Os dois últimos anos têm sido desafiadores para todos, sobretudo para as mulheres, que em muitos casos se viram confinadas com o agressor”, declara Elenice Malzoni, assessora de Direitos Humanos e Políticas para a Mulheres.

A Assessoria dos Direitos Humanos – Políticas para Mulheres reforçou as campanhas de conscientização e supervisionou 79 casos, de todas as regionais da cidade. A Casa da Mulher Brasileira (CMB) manteve o atendimento 24 horas àquelas que buscaram ajuda, este ano com uma novidade: um espaço pet para que as vítimas não precisem se separar dos animais de estimação caso precisem de alojamento temporário.

“A Casa da Mulher Brasileira é um local seguro, onde é possível buscar ajuda jurídica e psicológica. Nossa preocupação com o bem-estar de todas nos levou a criar este espaço”, enfatiza Sandra Praddo, coordenadora-geral da CMB.

Cinco anos de trabalho

Desde a implantação da Casa, em junho de 2016, foram 68.971 atendimentos, sendo 3.445 para mulheres provenientes da Região Metropolitana de Curitiba, Litoral, e outros municípios e estados.

Com relação ao alojamento temporário (até 48 horas), foram ocupados 1.191 leitos – 604 por mulheres vítimas de violência e 587 pelas suas crianças.

Ações em 2021

Políticas para Mulheres

  • Palestras on-line voltadas à prevenção e enfrentamento às violências contra mulheres, disponibilizadas de forma digital pelo site do Imap. Uma delas feita em parceria com as Assessorias da Igualdade Étnico-Racial e da Diversidade Sexual, com abordagem às demandas de mulheres, negras, transexuais e lésbicas.
  • Orientações nas redes sociais da Prefeitura durante os 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulheres.
  • Dia Internacional da Mulher com início do programa Ela Faz, para difundir o empreendedorismo, no aspecto profissional e pessoal, incentivando a autonomia e independência das mulheres.
  • Divulgação da Cartilha Lei Maria da Penha nas regionais e pontos de vacinação, em alusão ao aniversário da Lei Maria da Penha e ao Dia do Combate ao Feminicídio.
  • Palestras sobre a Lei Maria da Penha, com os servidores da Fundação de Ação Social, 156, Centros Municipais de Educação Infantil e Secretaria Municipal da Educação.
  • Orientação sobre enfrentamento de assédio e importunação sexual nos terminais Pinheirinho e Cabral. Entrega de panfletos sobre o tema. Nas demais regionais, os panfletos foram distribuídos nas Ruas da Cidadania.
  • Está em fase de finalização o Plano Municipal de Políticas para Mulheres, com ações e metas estabelecidas pelas secretarias/órgãos. Consulta pública sobre as necessidades das mulheres do munícipio, para aprimorar as ações propostas no plano.
  • No controle social, representado pelo Conselho Municipal de Políticas para Mulheres, a assessoria subsidiou tecnicamente a revisão do Regimento, que está em fase de publicação.
  •  Participação na Feira do Conhecimento, do Colégio Estadual do Paraná, com presença do Ônibus Lilás, divulgando e orientando sobre o tema.
  •  Em 25 de novembro, Dia Internacional de Combate à Violência Contra as Mulheres, foi realizada uma mobilização com moradoras da Regional Boqueirão, em parceria com a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude, com orientação sobre temas relativos a prevenção e enfrentamento de violências, com lista de serviços disponíveis e canais de denúncia, pela equipe da unidade móvel, Ônibus Lilás. A mesma ação ocorreu nas regionais Portão, Bairro Novo e CIC, em datas diferentes
  •  Blitz informativa, direcionada para motoristas e pedestres das adjacências da Casa da Mulher Brasileira, com entrega de material informativo.
  •  Em parceria com o Conselho Municipal de Direitos das Mulheres, seminário sobre as diversas formas que a violência contra mulheres ocorre e a sua relação com os marcadores sociais de diferença.
  •  Mesa de debates com o Consulado da Argentina, com exposição das ações de enfrentamento das violências contra mulheres e da política de gênero desenvolvida naquele país.

Casa da Mulher Brasileira

  • De janeiro a novembro de 2021, a Casa recebeu 74 visitas de vereadores de Curitiba e de outros municípios e recepcionou a ministra Damaris Alves (Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos), além de realizar reuniões, palestras e entrevistas.
  • Em agosto de 2021 foi assinado o Contrato de Cessão de Uso da União para a Prefeitura de Curitiba da Casa da Mulher Brasileira, por um período de 20 anos.
  • O Dispositivo de Segurança Preventiva – Botão do Pânico beneficiou, desde abril de 2019 a novembro de 2021 o total de 174 mulheres. Atualmente, 64 aparelhos estão ativos.
  • Concedido prêmio Pablo Neruda de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Curitiba para a Coordenadora da Casa da Mulher Brasileira pelos serviços prestados em prol das mulheres em situação de violência doméstica.