Desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março, a rede pública de ensino de Curitiba recebeu 1,1 mil transferências de estudantes vindos da rede particular. A mudança ocorre para crianças a partir dos 4 anos, em escolas ou Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). Por enquanto, o decreto estadual 779 determina a suspensão das aulas presenciais até o dia 2 de agosto. A rede municipal de ensino tem 140 mil crianças e estudantes matriculados em 185 escolas e 230 CMEIs, além dos 95 Centros de Educação Infantil (CEIs), que também seguem fechados.

+Leia mais! Pico do coronavírus em Curitiba deve ocorrer nas próximas semanas

A alteração ocorre especialmente por uma questão financeira, pois em muitos casos, os pais perderam o emprego ou tiveram uma redução salarial. Além disto, no ensino público, a aula tem transmissão em TV aberta, o que facilita no entendimento das disciplinas.

Andressa Pereira, superintendente de Gestão Educacional, reforça que os conteúdos das videoaulas ajudará o estudante quando for retornar ao presencial. “No retorno, quando isso for possível, os professores responsáveis pelas turmas farão uma avaliação do aproveitamento dos estudantes, não como prova, mas como uma maneira de alinhar o desenvolvimento das atividades futuras. Isso vale para os estudantes que já eram da rede como para os novos”, explicou Andressa.

+Atenção, pais! “Homem Pateta” espalha conteúdo violento e assusta crianças nas redes sociais

A transmissão é pela TV aberta (canal 9.2 UHF da TV Paraná Turismo e 4.2 Rede Massa em Curitiba) e no YouTube, pelo canal TV Escola Curitiba. Desde a estreia, em 13 de abril, já são mais de 10,6 milhões de visualizações e 84 mil inscritos no canal. Além da videoaulas que são preparadas pela Secretaria Municipal da Educação de Curitiba, os alunos recebem atividades complementares.

Como fazer a mudança de escola?

As famílias que desejam migrar para escolas municipais devem procurar os Núcleos Regionais da Educação, localizados nas Ruas da Cidadania. Maria Sílvia Bacil, secretária municipal da Educação acredita que mesmo com a chegada de novos alunos, a rede está preparada para receber mais 11 mil vagas. “As unidades do município estão preparadas para receber crianças e estudantes da rede privada”, informou a secretária.

+Caçadores! Mãe que vale ouro! Filho de empregada vira doutor em engenharia pela UFP

Documentos necessários para a mudança de escola

– Certidão de Nascimento da criança (original e cópia)
– Declaração de transferência ou histórico da escola de origem
– Cópia de RG e CPF dos pais ou responsáveis
– Se a criança tiver cadastro no Programa Bolsa Família do governo federal, deverá informar o código do NIS (Número de Identificação Social)
 – Para comprovante de endereço deverá apresentar o talão de conta da Copel recente
– Declaração de vacina da criança (que pode ser retirada em qualquer posto de saúde)


Precisamos do seu apoio neste momento!

Este conteúdo te ajudou? Curtiu a forma que está apresentado? Bem, se você chegou até aqui acredito que ficou bacana, né?

Neste cenário de pandemia, nós da Tribuna intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise. Bora ajudar?

Ao contribuir com a Tribuna, você ajuda a transformar vidas, como estas

– Pai vende vende 1000 bilhetes de rifa com a ajuda da Tribuna pra salvar o filho
– Leitores da Tribuna fazem doação de “estoque” de fraldas para quíntuplos
– Leitores se unem para ajudar catadora de papel de 72 anos

E tem várias outras aqui!

Se você já está convencido do valor de sua ajuda, clique no botão abaixo