A Polícia Militar (PM) acompanha há uma semana a mobilização do Sindicato dos Metalúrgicos na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Desde o dia 10 de setembro, trabalhadores de pelo menos quatro indústrias estão em paralisação. Porém, uma decisão da Justiça permite que os funcionários que quiserem trabalhar possam entrar nas fábricas.

Na manhã desta sexta-feira (17), ao menos seis viaturas da PM estavam em frente a uma das empresas. Além disso, o Batalhão de Choque também estava no local. Segundo o comando da Polícia Militar, os policiais acompanham a movimentação para garantir o cumprimento de um interdito proibitório expedido pela Justiça que permite a entrada dos funcionários que queiram trabalhar. De acordo com a PM, não há até o fim da manhã desta sexta-feira registro de nenhuma ocorrência, apenas desentendimentos menores.

LEIA TAMBÉM:

>> Curitiba encerra atividades do Pavilhão da Cura após 400 mil doses aplicadas

>> Trabalhadores desmaiam dentro de caminhão-tanque durante limpeza na RMC

Sobre a presença do Choque, a PM informa que o batalhão só foi chamado quando houve ameaça de tumultos. Na manhã desta sexta, os policiais do Choque chegaram a se posicionar no portão de uma das fábricas, mas não houve confronto.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, o calendário é de negociação da data-base dos trabalhadores dos setores de máquinas e metalurgia. Porém, o sindicato patronal não teria aceitado abrir a negociação, fazendo com que o sindicato tentasse abrir um canal diretamente com as empresas. A reportagem procurou a empresa onde houve manifestação nesta sexta e aguarda o posicionamento.

O Sindicato dos Metalúrgicos convocou assembleia-geral com os trabalhadores de uma das fábricas para às 10h deste sábado (18). Na pauta, as decisões sobre que medidas serão tomadas a respeito da paralisação.

Web Stories

Pega Pega

Treta! Nelito dá um soco em Julio por causa de Cíntia

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz sabe!

Gigante!!

Nova Havan será quatro vezes maior que a loja que será abandonada em Curitiba

Lindas!

Cinco árvores exóticas e raras de Curitiba