Água e eletricidade. Dois elementos fundamentais para a vida humana e que agora também ajudarão a sociedade no combate à proliferação do novo coronavírus. Isso graças a uma ideia imaginada e executada por um grupo de pesquisadores, médicos e empresários do Paraná, que acabou de lançar o Hydro-H – equipamento que gera, a partir da água, uma solução antimicrobiana 99,99% eficaz contra fungos, bactérias e vírus em geral – inclusive o SARS-Cov2, que causa a covid-19

A inovação é fabricada pela BMR Medical, empresa que atua desde 2005 na área de saúde (oncologia, hematologia, analgesia e cirurgia) e possui as mais importantes certificações internacionais e nacionais, como do FDA norte-americano, da Comunidade Europeia (ISO13485) e da Anvisa (Certificado de Boas Práticas de Fabricação).

+ Leia mais: Tem lixo eletrônico em casa e não sabe o que fazer? Sábado tem mutirão drive-thru

A empresa também é membro da Associação Brasileira dos Importadores de Equipamentos, Produtos e Suprimentos Médico-Hospitalares (ABIMED) e da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (ABIMO).

Como funciona

O funcionamento do Hydro-H se dá ao conectá-lo a uma torneira e a uma tomada. Em apenas 15 segundos, a água é transformada em um potente produto saneante antimicrobiano altamente eficaz, que deve ser aspergido sobre superfícies para higienização.

“Tecnicamente, a água passa por processos químicos e físicos que filtram, quebram sua molécula e geram hidroxila e ozônio. Não é nada novo. É a mesma tecnologia usada pelo planeta Terra para que a vida seja possível. Apenas conseguimos transformar isso em uma solução muito necessária para o novo momento da sociedade”, destaca Marcos Paulo Silva, engenheiro mecânico e proprietário da Silbra, uma das integrantes do pool de empresas responsáveis pelo projeto.

+ Veja também: Bar/lanchonete do bairro Xaxim é eleito o melhor boteco de Curitiba

O médico Marcelo Loureiro, que hoje atua no Hospital Pilar de Curitiba, reforça a segurança do equipamento. “Apesar de tóxico para qualquer micróbio, a grande vantagem dessa tecnologia é que ela gera um produto potável e, ao mesmo tempo, altamente eficaz contra o vírus, fungos e bactérias”, exemplifica o pesquisador, que também faz parte do programa de pós-graduação de biotecnologia da Universidade Positivo e é uma das cabeças por trás do Hydro-H

Como é na prática?

A rede de escolas Tistu, com três unidades em Curitiba (PR), está utilizando o equipamento há três meses. E os resultados animaram os gestores, haja vista que o setor da educação foi um dos mais afetados pela pandemia, devido às regras de distanciamento impostas pelo poder público.

“Mais do que ajudar na prevenção da transmissão da covid-19, esse equipamento nos ajudou a reduzir o custo e o risco com o manuseio e estoque de produtos de limpeza. Temos produzido a solução com o Hydro-H duas vezes ao dia e sanitizando todas as superfícies da escola e já reduzimos em 50% o gasto com materiais como detergente, água sanitária e sabão. Posso dizer, com tranquilidade, que desapareceu aquele pavor com a transmissão do vírus pela superfície”, argumenta Germano Assad, gestor da Rede Tistu.

+ Veja mais: Zoológico de Curitiba libera mais ingressos para visitação a pé. Já reservou o seu?

A impressão de Germano é a mesma do infectologista Jaime Rocha, diretor da Unimed Curitiba. “Entendo que o equipamento é um avanço tecnológico muito importante porque é eficiente e totalmente sustentável. Além de não produzir resíduos, tem alta eficácia contra vírus e bactérias. Ou seja, é uma solução com alto poder sanitizante e zero efeito colateral”, ressalta Rocha.

Empresários e pesquisadores por trás do Hydro-H acreditam que o novo coronavírus trouxe à tona um problema muitas vezes negligenciado pela sociedade e pela iniciativa privada e que agora será um diferencial para retenção de clientes e parceiros no pós-pandemia.

“Mesmo depois da pandemia, o empresário precisará oferecer tranquilidade para que as pessoas se sintam seguras ao sair de casa. E não é uma segurança apenas contra o novo coronavírus. Há uma série de microrganismos que são negligenciados. E agora esse equipamento permite uma sanitização fácil, econômica e sustentável contra eles”, aponta o CEO da BMR Medical, Rafael Martinelli.

Meio Ambiente

Além de eficaz e seguro contra fungos, bactérias e vírus, o Hydro-H também é uma solução ecológica, o que lhe rendeu o selo do Green Building Council Brasil. Isso porque ele elimina o descarte de produtos de limpeza no meio ambiente, que é uma das consequências do combate ao novo coronavírus ainda pouco explorada. “É um produto muito potente, com baixíssimo custo e com uma consciência ambiental altíssima, ao substituir produtos de limpeza para sanitização em larga escala por água e energia elétrica. Conseguimos reduzir a zero o uso de produtos de limpeza nesse processo”, afirma Martinelli.

O equipamento começou a ser pensado logo após os primeiros casos de contaminação do novo coronavírus no país. Um grupo de empresários e pesquisadores do Paraná passou a pensar em uma solução limpa, barata e eficaz, mas que não fosse nociva à saúde humana. Isso porque surgiram inúmeros produtos desde o começo da pandemia com propósito semelhante, mas que logo caíram em descrédito devido ou à baixa eficácia na ação antimicrobiana ou ao risco à saúde humana. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), inclusive, chegou a emitir um alerta contra cabines desinfetantes, que poderiam ser nocivas e ineficazes.

O Hydro-H, por sua vez, foi pensado para a sanitização exclusiva de superfícies. Ou seja, não é para que as pessoas sejam alvo da solução aspergida por ele. “O produto não é tóxico para o organismo. Mas optamos por voltá-lo apenas para a desinfecção de objetos”, avalizou Loureiro.

Neste primeiro momento, o modelo é voltado para lugares com grande fluxo de pessoas, como escolas, hospitais, clínicas, condomínios, shopping centers e aeroportos. Uma adaptação do equipamento para ambientes residenciais, com tamanho menor e custo reduzido, já está sendo estudada.

O produto é comercializado pode ser adquirido a custos fixos ou mediante uma assinatura mensal.