Cerca de 969 pessoas tiveram que deixar parques e praças públicas de Curitiba após ações da Polícia Militar contra aglomerações. Algumas foram encaminhadas para lavratura de Termo Circunstanciado por uso e porte de drogas até o final da tarde. As ações ocorreram por parte da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU) na Praça do Gaúcho e no parque do Museu Oscar Niemeyer ao longo do final de semana.

+Leia mais! Curitiba tem manhã mais fria do ano nesta segunda-feira. Sensação térmica chega aos 4ºC

“A ação é para prevenir e reprimir infrações administrativas, entre elas aglomeração de pessoas, frequentemente relacionados a alguns espaços públicos da Capital”, disse o coordenador operacional da AIFU, capitão Ronaldo Carlos Goulart.

“As pessoas devem ficar atentas às regras dos decretos do Estado e do município porque elas visam reduzir a contaminação e a propagação do vírus. Infelizmente ainda vemos que muitas pessoas não respeitam as medidas e, mesmo estando erradas, continuam com as práticas irregulares e colocam em risco toda a população”, alertou Goulart.

O primeiro foi a Praça do Gaúcho, no bairro São Francisco, onde cerca de 60 pessoas foram abordadas e dois adultos acabaram encaminhados para lavratura de Termo Circunstanciado por uso e porte de drogas, sendo apreendidos pequenas porções de maconha. As equipes do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), que acompanham a operação, lavraram notificações de trânsito e recolheram dois veículos que estavam em situação irregular.

+Viu essa? Estudo da UFPR comprova que restrições conseguiram conter a pandemia no Paraná

No parque do Museu Oscar Niemeyer, no Centro Cívico, os policiais militares dispersaram uma aglomeração de cerca de 500 pessoas, além de encaminharem mais duas por uso e porte de drogas. Na área do trânsito, um motorista embriagado que estava próximo do local foi encaminhado para uma delegacia após uma abordagem.

“Em algumas situações temos encontrado até foragidos da Justiça. Essas operações têm sido continuadas para que cada vez mais possamos reduzir os índices de crimes e os riscos de contaminação da população pelo vírus em locais públicos”, destacou o capitão.