Os manifestantes partidários do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva passaram a noite, e continuam, no entorno do prédio da Polícia Federal (PF), no Santa Cândida. Na manhã deste domingo (8), tudo segue tranquilo e sem nenhuma provocação, já que a movimentação dos apoiadores da Operação Lava Jato é mínima. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, a prefeitura e Curitiba cedeu o Parque Atuba, que fica no bairro de mesmo nome, para abrigar os manifestantes. Não há informações sobre como seria feito este deslocamento e que área do local estaria destinada à abrigá-los.

Líder da CUT, Regina Cruz. Foto: Gerson Klaina
Líder da CUT, Regina Cruz. Foto: Gerson Klaina

Segundo a presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Paraná, Regina Cruz, a ideia dos seguidores de Lula é não sair de lá e esperar novos grupos, que devem chegar ao longo do dia. “Nós passamos a noite por aqui e estamos seguindo uma restrição, que foi imposta, de que não podemos ficar nas ruas mais próximas do prédio da PF. Seguindo essa orientação, segue tudo pacífico”, disse Regina.

Aproximadamente 500 pessoas passaram a noite na Rua Guilherme Matter, a partir da área isolada pela Polícia Militar (PM). Já foram montadas algumas tendas, pequenas, para abrigar equipamentos de cozinha. Também foram armadas pequenas barracas de camping para que os manifestantes dormissem.

Segundo Regina, a intenção é evitar ao máximo o confronto com os policiais e também com os moradores da região. “Queremos manter a tranquilidade por aqui e demonstrar apoio ao Lula. Até porque, já são sete ônibus que estão em Curitiba, mas ao longo da tarde mais vão chegar”.

Feridos

Foto: Daniel Caron
Foto: Daniel Caron

No momento em que o helicóptero com o ex-presidente Lula chegava, na noite deste sábado (7), uma confusão teria sido o estopim para que bombas de efeito moral fossem arremessadas nos manifestantes. O motivo, conforme o que a polícia informou, foi uma tentativa de invadir o prédio da PF. Segundo Regina Cruz, ninguém tentou invadir e estava tudo tranquilo até então.

No momento das bombas, pelo menos quatro pessoas ficaram feridas, entre elas uma criança. A presidente da CUT informou que estas pessoas foram medicadas e estão bem, mas que ainda não tem informações precisas sobre o estado de saúde dos feridos. A Polícia Federal ainda não se manifestou oficialmente sobre a situação.

Bloqueios

As ruas Professora Sandália Monzon, Rua Engenheiro Gabriel Paulo Passo Brandão, Rua Mariano Gardolinski e Maria Noêmia dos Santos são as que continuam sob vigilância de equipes da PM. Em todas elas, veículos não podem passar se não forem de moradores ou de funcionários da Polícia Federal. Quem chega aos pontos de bloqueio recebe a orientação das restrições pelos policiais militares.

Os bloqueios foram impostos através de um interdito proibitório, expedido pela Justiça, a pedido da Prefeitura de Curitiba e da Polícia Federal, para evitar o acúmulo de gente na região. Essa determinação começou a ser cumprida ainda na noite de sábado, pouco tempo depois de o ex-presidente chegar à PF.

94ab8806-cdf9-42bd-8ded-8b6d4586f8fb
Foto: Daniel Caron

Anti-Lula

Se no momento da chegada do ex-presidente os manifestantes se dividiam entre apoiadores e contrários à ele, apenas os partidários de Lula permaneceram nos arredores do prédio Polícia Federal, no Santa Cândida. Na manhã de domingo, havia pouca movimentação do lado dos apoiadores da Operação Lava Jato, sendo que ninguém permaneceu no local durante a madrugada.

Seis jornalistas são agredidos durante cobertura da prisão do ex-presidente Lula