O responsável por uma cena de violência que se iniciou dentro de um restaurante em Curitiba após um homem tossir diz que está arrependido. “Foram segundos em que perdi completamente o controle. Errei e me arrependo muito. Com tantos milhões de pessoas no mundo morrendo, perdendo emprego, entrando em depressão e cometendo suicídio, esse cara não tem direito de fazer piada com isso”, revela o agressor, em nota enviada pelo seu advogado.

LEIA TAMBÉM Vídeo revela agressão após crise de tosse em restaurante de Curitiba . Assista!

A situação aconteceu na noite de quarta-feira (9), num restaurante no Água Verde. Um casal foi agredido a socos e pontapés sob a alegação de que o homem estava com coronavírus. Vídeos das câmeras de segurança mostram o momento da agressão e dos instantes anteriores à ação.

Por meio de nota enviada pelo advogado dele, o agressor diz que perdeu o controle por alguns segundos, mas que também foi provocado até cometer o ato de violência e que o motivo da tosse não teria sido engasgo, versão que a vítima disse à polícia, mas motivado pelo estado de saúde do outro homem agredido. O anonimato dos envolvidos segue sendo preservado.

“Todas as terríveis circunstâncias que temos vivenciado e o medo, neste momento em que as UTIs estão lotadas, culminaram naquele momento de grande estresse, em que tive reação totalmente fora do meu normal”, explicou o homem.

LEIA TAMBÉMParaná registra 81 pedidos de transferência para leitos covid-19 neste domingo

Segundo o advogado, o cliente saiu de casa para evitar o risco de contaminação, já que um prestador de serviço que estaria em sua casa. Foi, então, ao restaurante com sua esposa e sentaram numa mesa sem ninguém por perto. 

Contrariando a versão de que a tosse teria sido provocada por um engasgo, a defesa do agressor defende que o outro homem estava gripado e doente. A nota ainda explica que o outro cliente agredido teria entrado no restaurante com a “máscara no queixo, gripado, tossindo, espirrando e fungando […]”. 

A nota revela que o cliente e a esposa trocaram de lugar, mas teriam sido provocados pelo outro homem. O advogado diz que “a parte recebeu inúmeras ameaças do homem doente também, tanto no calor da discussão como depois enquanto esperavam a polícia”.

A defesa reforça que, além de arrependido, o cliente “não consegue nem dormir, nem comer direito e que nunca agrediu qualquer outra pessoa em sua vida e, não fosse a pandemia, o isolamento e o risco de perder pessoas próximas, isso jamais teria acontecido”.

Caso é investigado pela polícia

Depois da confusão no restaurante, a Polícia Militar foi acionada e o casal agredido registrou um boletim de ocorrência. Os dois foram até o 12º Distrito Policial da Polícia Civil, onde foram ouvidos informalmente.

De acordo com a Polícia Civil, o homem ficou ferido no rosto e a mulher que o acompanhava com um galo na cabeça. Os dois foram orientados pelo delegado a realizar um exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal. O caso segue em investigação.