Foram retomadas nesta semana as pesquisas de preços em produtos de alimentação, higiene e limpeza, carnes, frutas, legumes e verduras em 18 mercados de médio e de grande porte de Curitiba. Suspenso por causa da pandemia de covid-19, a pesquisa volta com mais itens. Segundo a Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, o levantamento de preços, que será revelado em breve, será feito em 700 itens, mais que o dobro do que era pesquisado até 2020, quando eram verificados cerca de 300 produtos.

+Viu essa? Rapaz que usou skate pra bater gerente de supermercado é identificado pela Polícia Civil

Nesta segunda-feira, primeiro de fevereiro, a verificação ocorreu em estabelecimentos dos bairros Xaxim, Bigorrilho, Boa Vista, Barreirinha e São Braz. A pesquisa estava suspensa desde março do ano passado, devido à pandemia pelo novo coronavírus.

Onde está mais barato

Como a pesquisa está sendo realizada, os dados serão revelados nos próximos dias, quando os curitibanos poderão contar com o novo portal do serviço da Prefeitura de Curitiba, que é gratuito. O site do Clique Economia Alimentar substituirá o do tradicional Disque Economia.

+Viu essa? Grande hipermercado de Curitiba anuncia fechamento para reabertura em novo formato

Entre as funcionalidades, o usuário poderá comparar preços conforme a região onde mora. O novo portal é mais moderno e mais prático e permite facilmente a navegação de qualquer dispositivo, seja computador, tablet ou celular.

“Hoje, nossos pesquisadores utilizam tablet, o levantamento está totalmente informatizado. Antes fazíamos o atendimento por telefone, informando produto a produto”, lembra ela. “Agora o curitibano contará sempre com a informação atualizada, de acordo com o que encontramos na gôndola do mercado, presencialmente”, explica Simone Roque, gerente do setor de Estatística e Análise da Secretaria. Segundo ela, Além da quantidade de produtos pesquisados, que é bem maior agora, pesquisadores e consumidores usam a tecnologia.

Ela informa ainda que as pesquisas de produtos sazonais como os de Páscoa, Natal, entre outros, também serão mantidas.