Cerca de 200 pessoas se reuniram na tarde de ontem na Praça 19 de Dezembro, no Centro de Curitiba, em um ato contra a PEC 55, que limita os gastos públicos por vinte anos. O protesto foi organizado pelas redes sociais. Por volta das 18h, o grupo deixou a praça em direção ao Shopping Estação e à Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap).

Foto: Rodrigo Félix Leal
Foto: Rodrigo Félix Leal

Houve confusão no meio do caminho e a Polícia Militar (PM) passou a acompanhar o protesto. A caminho do shopping, manifestantes picharam portas de lojas na Avenida Marechal Floriano. Ao menos três bancos tiveram suas portas estilhaçadas por pedras lançadas por pessoas que acompanham o ato. A Polícia Militar apareceu e começou a seguir o grupo.

Portas de estabelecimentos foram pichadas também nas ruas José Loureiro e Desembargador Westphalen. Algumas lanchonetes fecharam as portas para esperar a manifestação passar.

Foto: Rodrigo Félix Leal
Foto: Rodrigo Félix Leal

Devido à chuva fina e constante, guarda-chuvas dominaram o cenário, em contraste com cartazes que traziam mensagens como “Fora Temer, inimigo da saúde”, “Contra a PEC 55”, “PEC 55, a PEC da morte”.

Em coro, manifestantes cantavam : “Pode chover, pode cair. O nosso lema é ocupar e resistir”. Participaram secundaristas, universitários, professores e outros trabalhadores. Alguns jovens usaram máscaras e óculos de proteção.

A PEC 55 (chamada de 241 enquanto tramitava na Câmara) deve ir para votação final amanhã no Senado. No primeiro turno, a proposta foi aprovada por 61 votos a 14. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), afirmou que a pretensão é promulgar a PEC até 15 de dezembro.

Foto: Rodrigo Félix Leal