Uma campanha de arrecadação de roupas e objetos pessoais foi organizada para confortar as duas meninas que perderam quase tudo no desabamento do prédio comercial em Colombo, região metropolitana de Curitiba, ocorrido na última madrugada de sábado (4). A ideia partiu de dois casais de vizinhos do local do desabamento e correu pelas redes sociais. Uma das organizadoras da campanha é a soldado da Polícia Militar (PM) Renatha Karolinne Pagliosa, 26 anos, da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM), do 22.º Batalhão da PM. Ela, o marido e o casal de amigos foram as primeiras pessoas a chegar ao prédio e auxiliaram no resgate das vítimas. As doações para a campanha podem ser feitas até a próxima sexta-feira (10).

+Leia mais! “Foi meu resgate mais emocionante”, diz bombeiro que salvou menina do prédio que caiu

No prédio comercial funcionava uma academia, um mercado que estava em reformas e havia mais dois apartamentos. As meninas, de 6 e 10 anos de idade, estavam junto com mais três pessoas da família quando parte da estrutura do prédio foi ao chão: a avó de 50 anos, que seguia internada no Hospital Evangélico com ferimentos moderados, um homem de 29 anos e uma mulher de 25 anos. O desabamento foi por volta das 3h30, na Avenida Santos Dumont, no São Gabriel. 

Imagem de agosto de 2019 mostra como era o prédio antes do desabamento, no último sábado. Foto: Reprodução/Google.

A Renatha Pagliosa conta que ela e o marido Fabiano Pagliosa, 37 anos, também soldado da Rotam, ouviram o barulho do prédio caindo e se dirigiram tão rápido ao local que chegaram a tempo de resgatar o homem e a mulher que ainda estavam desorientados. Os policiais saíram completamente da rotina naquela madrugada. “Visualizamos o casal Jonathan e Jéssica. Estavam desorientados, assustados e feridos. Orientamos eles a saírem dali escalando uma coluna. Com a ajuda do meu marido eles desceram”, contou a soldado.

Ainda de acordo com a soldado, o contato já foi logo feito com o batalhão e Corpo de Bombeiros solicitando apoio. “Não conseguimos acessar o local após a saída do casal, pois havia desmoronado mais uma parte. Mas mantivemos contato com a menina de 10 ano o tempo todo. Ela foi nos orientando sobre as condições dela, da sua mãe e sua irmã de 6 anos, até a chegada do resgate”, relatou. O casal de policiais também impediu o acesso de terceiros no prédio.

Com ação tão intensa, a ideia da campanha de arrecadação de roupas e objetos para auxiliar as meninas e a família veio naturalmente. “Mexeu conosco. Nos sensibilizamos muito, pois chegou certo momento que não tínhamos mais o que fazer, a não ser aguardar o resgate. E quando as crianças e a senhora foram resgatados com vida, foi gratificante saber que de alguma forma contribuímos para isso”, disse a soldado Renatha. O casal de amigos também colaborou com o resgate e eles decidiram realizar a campanha.

Bora ajudar?

Até a próxima sexta-feira (10), a campanha pretende arrecadar o máximo possível de alimentos, cobertores, roupas e calçados. Embora o foco sejam as duas meninas, de 6 e 10 anos de idade, as doações também deverão ser distribuídas para a outra família que também morava no prédio, no apartamento ao lado, que não desabou.

Os telefones para as doações são o (41) 99747-2016 (Renatha) e o (41) 98535-7169 (Priscila). Vale ressaltar que, caso a pessoa não possa entregar pessoalmente as doações em Colombo, por causa da pandemia de coronavírus, os organizadores irão se mobilizar para buscar as entregas na casa das pessoas.

A campanha começou em Colombo, mas também vale para cidades ao entorno, incluindo Curitiba.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?