Com o isolamento social pela pandemia do novo coronavírus, a busca por informações da doença tem sido cada vez mais frequente. Mas, infelizmente, criminosos estão se aproveitando da situação para praticar crimes. A Polícia Civil do Paraná alerta para um aplicativo falso chamado Covidi-19 Tracker, em que as pessoas, na procura por dados da doença, teriam seus celulares bloqueados.

LEIA TAMBÉMViolência doméstica aumenta na quarentena de coronavírus no PR

De acordo com o delegado-chefe do Núcleo de Combate ao Cibercrime (Nuciber), José Barreto, o falso aplicativo daria um mapa interativo de pessoas que estariam infectadas com o novo coronavírus. Basta apenas um clique no link enviado para que o celular da vítima seja bloqueado ou com dados sequestrados pelos criminosos. “Eles exigem um resgate. Geralmente ele pede que a vítima compre bitcoin, o que é mais difícil de localizar”, explica o delegado. Os resgates podem chegar ao valor de 100 dólares em bitcoin.

O convite para o download do aplicativo é realizado fora das plataformas oficiais, como Google Play e Apple Store. Neste caso, a orientação da polícia é para que usuários não instalem aplicativos que não sejam disponibilizados pelas lojas oficiais. Caso o aplicativo já tenha sido instalado, as vítimas podem entrar em contato com o Nuciber pelo número (41) 3304-6800.

Explosão de golpes na internet

Segundo um relatório da Apura Cyber Intelligence, empresa brasileira especializada em segurança na internet, criminosos estão se aproveitando da pandemia para aplicar golpes e fraudes em corporações, órgãos públicos e também em pessoas físicas.

Um relatório publicado durante esta semana mostra a existência de 2.236 sites com as palavras “coronavirus” e “COVID” no domínio que são suspeitos de serem sites maliciosos. A pesquisa alertou ainda que este número cresce continuamente.

Uma das plataformas que detectam ameaças, desenvolvidas pela Apura, já acumula 63.463 eventos (ocorrências) que mencionam a palavra “coronavírus”. De acordo com o fundador e CEO da Apura, Sandro Süffert, a constante procura por informações estão disseminando malwares – que são vírus e programas similares que se instalam nos computadores de forma ilícita. 

Fraudes pelo WhatsApp

Circula nos grupos pelo WhatsApp do Brasil mensagens falsas envolvendo as empresas Ambev e Netflix que podem fazer com que as pessoas caem em golpe. O primeiro caso envolve uma fake news dizendo que a companhia de bebidas está distribuindo unidades de álcool gel para quem clicar no “continue lendo”. Já a segunda situação oferece acesso gratuito aos primeiros cadastros do Netflix, que levaria a pessoa a clicar novamente num link fraudulento. “É preciso tomar cuidado e nunca acessar este tipo de mensagem”, alerta Süffert.