Um policial militar matou um colega de farda durante uma discussão, na noite desta quinta-feira (04), dentro da própria viatura em que estavam em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba. Lécio Tadeu dos Santos, 42 anos, foi atingido por um disparo no rosto e morreu. O policial que atirou, identificado como soldado Elias Postanovski, 31, foi preso em flagrante e encaminhado ao Presídio do Batalhão de Polícia de Guarda (Bpgd), em Piraquara.

O crime ocorreu na Rua Santa Mariana, na Vila Delurdes, próximo das 22 horas. Após o fato, o coronel Hudson Teixeira da Polícia Militar (PM) foi informado do acontecimento e se dirigiu ao local. “Eram três policiais na viatura. O que morreu era o condutor e o que efetuou o disparo estava no banco de trás do motorista. Houve uma discussão por causa do atendimento a uma ocorrência. Pararam a viatura e começaram um atrito no lado de fora. O comandante da equipe tentou apaziguar a situação, mas o policial que conduzia o carro deu um soco no rosto nesse policial. Aí o policial atirou na cabeça do colega e ele morreu na hora”, disse o coronel em entrevista para o Bom Dia Paraná, da RPC, desta sexta-feira (05).

Ainda segundo Hudson Teixeira, os dois policiais envolvidos não tinham histórico de confusão dentro da corporação. “Não havia nada de muita relevância em relação aos comportamentos dos dois. Foi um fato isolado entre eles. Estamos verificando se haveria algum indicativo de acompanhamento psicológico. O autor do tiro foi preso em flagrante e estamos dando total assistência para as duas famílias”, afirmou o coronel.

O soldado responsável pelo tiro está preso no Presídio do Batalhão de Polícia de Guarda (Bpgd). Segundo Dival Carvalho Gomes, advogado de defesa de Elias Postanovski, explicou que a discussão foi pontual. “Nunca teve nenhuma desavença entre eles. Coisa pontual, uma reclamação pela forma com que a vítima estava conduzindo a viatura, visto que já tinha passado a necessidade de urgência. A vítima respondeu de forma ríspida e imediatamente parou a viatura e gerou o ocorrido”, disse.