Em meio à crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, um dos shopping centers mais tradicionais de Curitiba, o PolloShop do Alto da XV, anunciou na tarde desta segunda-feira (20) que vai fechar suas portas de maneira definitiva e que os cerca de 220 lojistas têm o prazo de 30 dias para entregar suas lojas. Os motivos para o fechamento, no entanto, são mais antigos, provocados pelas mudanças de comportamento dos consumidores e problemas entre os empresários e os donos do imóvel onde o shopping foi instalado.

LEIA MAIS – Restaurantes, vestuário e automóveis perdem R$ 1,7 bi com pandemia no PR

De acordo com nota divulgada pelos administradores do PolloShop, não houve mais acordo entre os representantes dos lojistas e os proprietários do imóvel com relação aos valores do aluguel. “O PolloShop está sobre um imóvel de terceiros que, não só não aceitaram renegociar uma redução no valor na renovação do contrato, como ainda pediram aumento do aluguel do imóvel, obrigando a administração do shopping a entrar com uma ação revisional, que se arrasta na justiça há quase três anos”.

LEIA MAIS – Clandestinos disputam passageiros e brigam com taxistas e motoristas de apps no Aeroporto Internacional de Curitiba

Ainda segundo os empresários, uma nova tentativa de negociação foi feita recentemente, já após as medidas de isolamento social terem sido adotadas no Paraná. “Com a crise estabelecida pelo surto da covid-19, que determinou o fechamento dos shoppings e a suspensão dos pagamentos por parte dos lojistas, a administração do empreendimento ficou impossibilitada de arcar com o alto valor do aluguel do imóvel.  Mais uma vez, foi pedida a redução dos valores ou a opção para os proprietários do imóvel assumirem a operação do shopping para preservar o interesse dos lojistas, mesmo com prejuízo dos sócios do empreendimento, mas não houve acordo”, diz a nota.

Para onde vão as lojas?

O PolloShop surgiu há 25 anos com a proposta dar espaço para os pequenos comerciantes e confeccionistas, na disputa por clientes contra os grandes shoppings da capital. O espaço contava atualmente com um mix de 220 lojas, distribuídas em moda feminina, masculina e infantil, acessórios, tecnologia, produtos para casa, presentes, papelaria, brinquedos, cafés e restaurantes.

Ao anunciar o fim das atividades comerciais, a direção do PolloShop também informou que fechou um acordo com os empreendedores dos Shoppings Jockey Plaza, Ventura Shopping de Descontos, Shopping Cidade e Shopping Jardim das Américas, todos localizados em Curitiba, para que eles recebam os lojistas que quiserem dar continuidade às suas operações, com uma carência temporária de aluguel.