Seis motoristas tiveram o prejuízo ao abastecerem, na manhã desta terça-feira (20), num posto da BR-116, em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). No lugar do etanol, o gerente do estabelecimento abasteceu o tanque do posto com diesel e o combustível foi colocado nos carros por engano.

“Pela manhã, eu abasteci com álcool e segui. O carro não aguentou nem um quilômetro à frente. Começou a falhar, até que saiu muita fumaça e parou”, contou Izabel Cristina Prohman.

A mulher, que seguiria viagem para o litoral do Paraná, contou que logo que parou já percebeu que outros motoristas também tinham parado. “Todos eles tinham abastecido no mesmo posto e tiveram o mesmo problema. Os carros simplesmente pararam”, desabafou.

O gerente do estabelecimento, Alexandre Silva Moraes, admitiu que se confundiu na hora do abastecimento dos tanques. Foto: Gerson Klaina
Alexandre admitiu que se confundiu na hora do abastecimento dos tanques. Foto: Gerson Klaina

Os motoristas chamaram a polícia, que mandou uma equipe da Delegacia do Consumidor (Delcon) para averiguar a situação. “Ao conversarmos com o gerente do posto, ele assumiu toda a responsabilidade. Disse que se enganou na hora de colocar o diesel no reservatório e acabou completando o tanque errado, o de etanol, um erro humano e não uma adulteração, como os motoristas estavam suspeitando”, explicou o superintendente Roberto Ramires.

“Não sei o que me deu, que troquei os tanques. Um fica ao lado do outro e talvez eu não tenha me confundido, mas infelizmente aconteceu e agora vamos ter que arcar com os prejuízos”, disse o gerente, Alexandre Silva Moraes.

Envolvimento na Operação Pane Seca

O que levantou desconfiança dos motoristas, foi o fato de que, em 2017, durante a Operação Pane Seca, o mesmo posto tinha sido investigado por adulteração. “Mas agora estamos com uma nova diretoria e não foi adulteração, errei o tanque mesmo”, defendeu o gerente.

Ao todo, segundo o gerente, foram despejados oito mil litros de diesel no reservatório, que já armazenava 12 mil litros de etanol. “Acontece que diesel e etanol não se misturam, então é como se fosse óleo e água. Por isso acabou afetando os carros e também, por isso, garantimos que não foi adulteração e sim um erro”.

Consertando o erro

Comprometido com os seis motoristas, o gerente conseguiu um caminhão-cegonha para remover os veículos para que sejam limpos. “Vamos fazer todos os procedimentos necessários para que os motoristas não tenham prejuízo, afinal, foi um erro meu. Tenho que arcar com as consequências”.

Além do prejuízo com os reparos nos veículos, o posto também pode acabar tendo um enorme prejuízo com os 20 mil litros de combustível. “Ainda não sabemos e perdemos tudo. Antes de tudo, vamos retirar o conteúdo do reservatório, para limparmos o tanque. Depois, vamos descobrir se vai ser possível separar o diesel do etanol. Caso não dê para separar, mais prejuízo ainda”, contou Alexandre.

O superintendente da Delcon disse que as investigações vão continuar e que os seis motoristas vão registrar o boletim de ocorrência para oficializar a situação. “O gerente e o dono do posto já foram intimados e vão prestar os esclarecimentos para identificarmos se foi mesmo um erro humano ou não, mas tudo indica que sim”, considerou Ramires.

Seis motoristas foram prejudicados com a confusão. Foto: Gerson Klaina
Os seis motoristas prejudicados pararam no posto seguinte para pedir ajuda. Foto: Gerson Klaina