Em fevereiro de 2019 a Tribuna fez matéria sobre o estado de conservação da Praça das Nações, no Tarumã, em Curitiba. Na época, o funcionário público federal Carlos Roberto Kiaulenas Tworkoski, 56 anos, morador da região, pedia uma reforma urgente por questões de segurança. Rachaduras, calçadas em desnível, escadaria com piso irregular, falta de poda e jardinagem eram apenas alguns dos problemas relatados por ele. Para quem é frequentador assíduo do local, desde os 11 anos de idade, o sentimento de preocupação passou a ser rotineiro e ele fez várias ligações para a Central 156 da prefeitura. Tworkoski foi o porta-voz da vizinhança. Em março deste ano, o pedido por reformas começou a ser atendido.

Foto anterior mostra como a praça estava destruída, com rachadura e perigos para quem passava no trecho. Foto: Arquivo/Átila Alberti.

Segundo a prefeitura, desde o dia 1.º de março estão sendo realizados trabalhos de manutenção feitos por equipe própria do município, da Secretaria do Meio Ambiente (SMMA), para requalificação do espaço. Em nota, a SMMA explicou que estão sendo recuperados o piso, os paredões em meia-lua e o parquinho. Os serviços devem ser concluídos até o final de maio.

Assim que Tworkoski viu que as obras começaram, ele entrou em contato com a Tribuna para contar a satisfação que sentiu e para destacar a importância da reportagem feita na época. “Eu estava preocupado com a segurança de quem frequenta a praça. Muitos turistas e moradores vêm aqui para tirar fotos, ver o pôr do sol e tomar caldo de cana. Depois da matéria, a prefeitura veio algumas vezes para limpar, cortar a grama, mas não tinha resolvido a questão da estrutura da praça. Tenho certeza de que a divulgação da reportagem ajudou”, relatou o morador.

Pouco antes das obras começarem neste ano, Tworkoski também contou que quase teve um treco quando foi procurar pelo andamento do seu protocolo na Central 156. “Abri a consulta pela internet e vi que o pedido tinha ido parar no gabinete do prefeito. Comecei a acreditar que as obras, dessa vez, iriam andar. Foi o que aconteceu”, comemorou.

As obras da prefeitura também incluíram reformas na trincheira da pista da Avenida Víctor Ferreira do Amaral com a Avenida Nossa Senhora da Luz, onde fica a praça. De acordo com a superintendência de Manutenção Urbana, da Secretaria do Governo Municipal, houve melhorias estruturais, correções de trincas na estrutura e nas muretas de divisão da pista e pintura geral, conforme o projeto elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC).

Nas próximas semanas, a prefeitura informou que está prevista pintura dos fractais (desenho artístico) nas paredes laterais da trincheira e o restante da pintura nas paredes estruturais da Praça das Nações.

Vizinhança pede ampliação de estacionamento

Com o pedido pela Central 156 dando resultado, o Carlos Roberto se tornou quase que o porta-voz do pessoal do bairro. Conversando com o vendedor de caldo-de-cana Gicelo Sturião, de 65 anos, conhecido como Célio, que há 27 anos trabalha na praça, surgiu a ideia de arriscar e pedir mais uma benfeitoria para a prefeitura. “O Célio sugeriu que o estacionamento fosse ampliado por aqui. O ideal seria a prefeitura aumentar o avanço do meio-fio que já tem para caber mais carros. A praça é um ponto turístico importante, o segundo local mais alto de Curitiba. Muita gente vem aqui. Todo mundo merece”, explicou.

Sobre o assunto do estacionamento, a prefeitura respondeu para a reportagem que, “assim que encaminhada pela Central 156, passará por estudos por parte da Superintendência de Trânsito (Setran) para avaliar a viabilidade”.