Para aumentar a arrecadação, que vem caindo em função da crise, a Prefeitura de Curitiba criou, nesta quinta-feira (22), uma força-tarefa na área financeira, com a intenção de modernizar a forma de pagamento de tributos e ampliar a cobrança de dívidas que até o momento não foram pagas. Para isso, a administração municipal reuniu servidores públicos com grande experiência na área de tecnologia da informação. “Eles têm a missão de melhorar os cofres públicos sem o aumento de impostos”, disse o prefeito Rafael Greca.

Segundo o prefeito, o objetivo é que “a cidade não fique nunca mais na situação difícil em que está hoje”, afirmou. “Quero deixar um legado para os futuros prefeitos para que encontrem a Prefeitura em um estado de tranquilidade financeira”.

O grupo vai propor e desenvolver sistemas que serão disponibilizados ao contribuinte, explicou o secretário Municipal de Planejamento, Finanças e Orçamento, Vitor Puppi. “As medidas são formas de dinamizar a arrecadação”, disse. Uma das medidas é a criação de um sistema de gestão de cobrança de débitos, além de organizar o cadastro de devedores inadimplentes com a implantação do Cadastro de Inadimplentes (Cadin), proposto no Plano de Recuperação de Curitiba.

O coordenador da força-tarefa será o auditor fiscal Mario Nakatani Jr. também falou sobre a Nota Curitibana, prevista no Plano de Recuperação de Curitiba, que tramita na Câmara Municipal de Curitiba. “A medida vai estimular o cidadão a pedir a nota fiscal para prestação de serviços através de prêmios, tendo como consequência a ampliação da arrecadação do ISS”, explicou.