Mesmo com as baixas temperaturas registradas em Curitiba, nos últimos dias, e com as equipes da Fundação de Ação Social (FAS) percorrendo toda a cidade para oferecer acolhimento, muitas pessoas em situação de rua não aceitam ir para as unidades do município. Com as recusas, sobram vagas todas as noites nos abrigos, onde são ofertadas cama, roupa, alimentação e local para higiene.

Desde o início da Ação Inverno – Curitiba que Acolhe, em 15 de maio, a Prefeitura ampliou para 1.635 o número de vagas de acolhimento, que nunca chegaram a ser totalmente preenchidas. Em média, mais de 500 delas ficam ociosas todas as noites, mesmo naquelas em que as temperaturas são mais baixas.

+ Leia mais: Vereador de Curitiba Renato Freitas (PT) é preso pela Guarda Municipal

Na noite desta quinta-feira (22), 32 pessoas abordadas pelas equipes da Fundação de Ação Social (FAS) recusaram atendimento, mas esse número foi ainda maior na última segunda-feira (19), quando 155 se negaram a ir para os acolhimentos, mesmo com os termômetros registrando -1ºC, com sensação térmica de -4ºC.

O presidente da FAS, Fabiano Vilaruel, explica que nas noites mais frias, as equipes do resgate social intensificam o serviço a essas pessoas, fazendo várias abordagens sociais. “Nosso objetivo é evitar a hipotermia, que pode acontecer quando as temperaturas ficam iguais ou menores de 9ºC”, diz.

Além das abordagens, os educadores sociais entregam cobertores para as pessoas que estão pouco agasalhadas. Na noite desta quinta, quando a FAS realizou mais uma ação intensificada por causa da previsão de temperaturas baixas, seis pessoas receberam cobertores para se proteger do frio. 

Busca espontânea

Os abrigos da FAS acolheram na noite desta quinta-feira, 1.021 pessoas, e destas, 381 buscaram o serviço espontaneamente. Outras 126 foram encontradas nas ruas pelas equipes e levadas para os abrigos, onde dormiram protegidas. As demais pessoas atendidas já são acolhidas permanentemente pelo município.

Durante toda a noite, as equipes da FAS fizeram 174 abordagens sociais em toda a cidade, 90 delas a partir de pedidos que chegaram à Central de Encaminhamento Social 24h por meio do 156.

Em 23 situações atendidas, as equipes estiveram no endereço indicado, mas já não havia mais ninguém no local. Uma das pessoas encontradas na rua precisou ser encaminhada para uma unidade de saúde, por estar com problemas de saúde. Dois adolescentes e dois adultos foram levados para acolhimentos institucional. 

Quatro animais de estimação de pessoas em situação de rua também foram acolhidos durante a noite, acompanhados de seus donos. Eles foram abrigados em unidades que possuem canis, onde recebem ração e água.

População pode ajudar

A população também pode ajudar a proteger as pessoas em situação de rua. Caso veja alguma delas protegida, ligue para 156 ou acesse o aplicativo Curitiba 156.,