Desde a última sexta-feira (23), está valendo a nova tarifa técnica do transporte coletivo em Curitiba. Até então, o valor era de R$ 4,06, mas agora está em R$ 4,24, quase no limite do preço pago pelos usuários na passagem de ônibus. O aumento leva em conta a alta no preço do diesel e a mudanças dos custos de pessoal de variável para fixo e é referente ao período de novembro de 2017 a fevereiro de 2018, mas não considera ainda o reajuste dos trabalhadores do transporte coletivo, que impacta cerca de 50% na tarifa técnica.

Para resolver o impasse, a Prefeitura de Curitiba teria, a princípio, apenas dois caminhos possíveis: voltar a subsidiar o transporte ou aumentar o valor da passagem, descumprindo a promessa do Rafael Greca (PMN) de congelamento durante 2018. No entanto, de acordo com o jornalista João Frey, da Gazeta do Povo, no entanto, a administração municipal têm tentado criar um caminho alternativo para segurar o aumento da tarifa: a redução de custos do sistema. Para isso, a Urbs tem feito um pente fino nas despesas desde o ano passado e tem pensado em soluções como mudança de materiais de acessórios do ônibus, a redefinição de trajetos e o combate aos fura-catracas.

Leia a análise completa a respeito do assunto direto no blog do jornalista João Frey.