O Carnaval 2021 em Curitiba está cancelado. Ao longo dos últimos anos a festa, especialmente a programação pré-carnaval, vinha ganhando destaque na cidade, tirando da capital a fama de não ter atrações na tradicional celebração brasileira. Considerando o atual panorama da pandemia do novo coronavírus em todo o país, o prefeito Rafael Greca decidiu suspender os eventos oficiais.

“Com ansiedade extrema aguardamos a chegada da vacina ainda a ser autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), seja ela qual for. Temos que libertar a cidade e o Brasil dessa praga. Vamos estudar e propor o quanto antes um pacto nacional estratégico de imunização inteligente, ético e justo”, apontou o prefeito Rafael Greca, em seu primeiro compromisso oficial de seu novo mandato. 

+ Leia mais: Chuvas dos últimos meses de 2020 aliviaram a pior seca da história de Curitiba e região

Para não incentivar aglomerações, fator sabidamente facilitador da disseminação do vírus, o prefeito também confirmou o cancelamento da programação, que deveria acontecer entre 13 e 16 de fevereiro, e contaria com desfile das escolas de samba e as festas promovidas por blocos carnavalescos. O plano é promover apresentações virtuais, via internet. “As aglomerações são fatais. Temos a obrigação de evitá-las para barrar o avanço da covid-19”, disse Greca.

E as aulas?

Outra preocupação do prefeito é com o início do ano letivo, marcado para depois do Carnaval. De acordo com a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, o plano é manter as salas de aula com metade da ocupação. Os alunos irão se revezar entre uma semana e outra, ou seja, quando parte da turma estiver na escola, a outra metade estará acompanhando a classe de casa, por meio das videoaulas. A opção de encaminhar os estudantes para o colégio será sempre dos pais ou responsáveis. 

Obras em andamento

O secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Rodrigues, expôs a situação dos serviços que estão em andamento, principalmente com respeito à construção da trincheira da Rua General Mário Tourinho e do Terminal Tatuquara e às intervenções no trecho norte da Linha Verde. Afetadas pela pandemia do novo coronavírus, que provocou o afastamento de profissionais que pertencem ao grupo de risco e prejudicou a oferta de insumos, como é o caso do aço, os trabalhos na trincheira e no terminal seguirão até este primeiro trimestre. 

+ Veja também: IPTU pode ficar até 11% mais caro em Curitiba; Reajuste ainda é calculado pela prefeitura

Já, as obras da Linha Verde contam com avanços e há trabalho em três lotes, entre o viaduto sobre a Avenida Victor Ferreira do Amaral e o Hospital Vita, a trincheira que liga as ruas Fúlvio José Alice, no Bairro Alto, e Amazonas de Souza Azevedo, no Bacacheri, e entre o Conjunto Solar e o Atuba está se erguendo um novo complexo viário, composto por trincheira e viadutos. As obras devem ser concluídas entre o fim de 2021 e o início de 2022.