O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), está em Curitiba desde sexta-feira, onde participa, neste sábado, de um ato político do PSDB do Paraná em apoio a sua candidatura nas prévias tucanas para a Presidência da República.

Em reunião com o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), Doria disponibilizou mais vacinas Coronavac, diretamente do Instituto Butantan para o Paraná já no fim de setembro, caso o governo local necessite de mais doses para completar o ciclo de vacinação da população paranaense. “Tudo o que nós pudermos fazer para ajudar o Brasil na vacinação nós faremos”, afirmou Doria, em entrevista coletiva no Hotel Bourbon Centro, em Curitiba, após o encontro.

+ Leia mais: Ratinho Jr assina novo decreto e estende medidas da covid-19 até dia 31 de agosto

O lote extra não faz parte do contrato firmado com o Ministério da Saúde e, portanto, pode ser negociado diretamente com Estados e Municípios. De acordo com Dória, o Estado do Ceará já formalizou contrato para aquisição de 3 milhões de doses. Piauí e Espírito Santo também estão com tratativas adiantadas.

“Importamos vacinas da Sinovac e isso nos permitiu acelerar nosso programa de imunização. Até semana que vem, vamos ofertar a primeira dose para todas as pessoas com mais de 18 anos e, em seguida, já iniciaremos a vacinação dos adolescentes com comorbidades. Por isso, teremos sobras de doses e queremos ajudar os outros Estados”, afirmou Dória.

O valor praticado será de US$ 10,50 por dose e é o mesmo do contrato com o Ministério da Saúde. “Podemos ofertar essas doses ao Paraná já no final de setembro, início do mês de outubro, assim que finalizarmos a entrega dos lotes que ainda faltam para o programa nacional de imunização”, projetou o governador.

+ Veja também: Paraná confirma primeiro caso da variante Lambda, vinda do Peru

Um dos anfitriões de Doria em Curitiba, o deputado estadual Michele Caputo (PSDB) também atuou na intermediação desta negociação de vacinas. Ele lembra que São Paulo terá um excedente de vacinas, enquanto o Paraná tem R$ 200 milhões de seu orçamento reservados para a compra de imunizantes. “Se há vacina disponível e recurso reservado para este fim, o Estado do Paraná pode sim agilizar o processo de vacinação imunizando mais gente, em menos tempo”, enfatiza Caputo, que é coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus na Assembleia Legislativa do Paraná.

No fim do encontro, o governador Ratinho Júnior sinalizou que acionará o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, para tratar diretamente com o governo paulista sobre a proposta.