Leandro Baptista da Silva, 22 anos, o “Leandrinho”, foi preso na tarde de quinta-feira, em Fazenda Rio Grande. Ele foi reconhecido como o homem que matou Manoel Morais da Silva dono de um bar e no cliente Luiz Carlos Alves. O crime foi cometido em 8 de setembro, por volta das 21h30, no bar de Manoel, na Rua Rio Taquari, no bairro Iguaçu.

Dois rapazes entraram no boteco e deram quatro tiros nas costas de Luiz Carlos e balearam Manoel, que morreu na hora. Luiz Carlos permaneceu dias internado, mas não resistiu. Na saída, os marginais levaram pertences e dinheiro dos clientes. Luiz contou, ainda no hospital, que tinha sido ameaçado de morte várias vezes, mas não disse o motivo nem quem o ameaçava.

Análise

Esta semana, o delegado Haroldo Davison analisava queixas de roubos e percebeu que a descrição física do assassino era a mesma do assaltante descrito nos boletins de ocorrência. “Leandrinho” foi abordado anteontem andando pela Travessa Adelaide, no bairro Iguaçu, com um adolescente, de 17 anos, que portava uma bucha de maconha.

Testemunhas do duplo homicídio reconheceram apenas “Leandrinho”. Porém, indicaram o adolescente como o assaltante que atacou o bar e a residência de Manoel em 16 de julho, com outro rapaz. A dupla levou R$ 5 mil, cigarros e bebidas. O comparsa dos dois não foram identificados.

Ladrões pegos por acaso

Enquanto os investigadores prendiam “Leandrinho” na Travessa Adelaide, um Gol com três rapazes passou e levantou suspeitas. Os policiais abordaram o veículo e descobriram que Alesson Miranda dos Santos, 22, Dionatan de Souza, 18, e um adolescente de 17 anos haviam acabado de assaltar um mercado em Quitandinha. Os três foram detidos em flagrante pelo assalto.

O roubo ocorreu por volta das 16h contra um minimercado. Dionatan e o adolescente entraram no comércio, enquanto Alesson ficou no Gol placa ACK-8042 esperando para fuga. No Gol, os policiais encontraram um revólver calibre 32, cinco munições calibre 357 e cinco gramas de maconha, além de sete relógios novos e R$ 243 em moedas e cédulas.

Reconhecidos

Os três foram levados à delegacia para ser autuados por porte de arma e munição. Porém, a delegacia de Fazenda Rio Grande recebeu um telefonema anônimo, informando do roubo.

As vítimas reconheceram Dionatan e o adolescente e os objetos apreendidos.