Pelo segundo dia seguindo, uma fila gigantesca se formou na frente ao chamado Pavilhão da Cura, no Centro de Exposições do Parque Barigui, local escolhido pela Prefeitura de Curitiba para vacinar os profissionais da saúde contra a covid-19. Antes mesmo do início da vacinação, a filha já “vencia” os limites do cordão de isolamento e segurança sanitária preparados pela organização.

+ Leia mais: Paraná tem maior número de mortes por covid-19 em um único boletim

Assim como no dia anterior, a reclamação de quem foi até o local continuou grande. Apesar de prestes a receber a primeira dose da vacina contra o coronavírus, atualmente objeto de desejo de todo o mundo, os profissionais de saúde se mostravam incomodados com a falta de organização na “força-tarefa”.

Alguns, inclusive, deram com a cara na porta. Foi o caso dos profissionais do Hospital Cruz Vermelha, que foram convocados para comparecer ao local, mas por falta de uma lista atualizada com o nome daqueles que teriam direito à imunização não puderam ser vacinados.