O plenário da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) vai analisar nesta quinta-feira (1), a sugestão do vereador Jornalista Márcio Barros (PSD) para que profissionais da imprensa que atuam nas ruas sejam incluídos nos grupos de prioridade da vacinação contra a covid-19. Nos últimos meses, vários jornalistas e radialistas foram infectados pelo coronavírus, por estarem trabalhando diretamente na cobertura da pandemia. Segundo o vereador, o pedido ocorreu devido a atividade ser considerada essencial e que a profissão é similar a outras que estão na linha de frente do combate à pandemia como profissionais de saúde, professores, policiais militares e bombeiros. A ideia era que a discussão ocorresse nesta quarta-feira (31), mas não deu tempo devido a outros proposições.

LEIA MAIS – Vacinação em Curitiba será exclusiva para segunda dose nesta quarta-feira

“Os trabalhadores da mídia são obrigados a se colocar em risco, garantindo a todo cidadão o acesso à informação correta, combatendo a circulação das chamadas “fake news” (notícias falsas) e, consequentemente, contribuindo para salvar vidas. Portanto, peço a aprovação deste requerimento para que seja solicitado ao Executivo Municipal, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde, a inclusão dos profissionais de imprensa em atividades externas (de rua) entre os grupos prioritários de imunização contra a covid-19”, diz a proposição assinada na segunda-feira (29).

LEIA MAIS – Curitiba terá ajuda do Exército na vacinação contra a covid-19

Em contato com a reportagem da Tribuna do Paraná, Márcio Barros, reforçou que o trabalho desenvolvido pela imprensa não foi interrompido e que a atividade daqueles profissionais que estão na rua deve ser valorizada. “Se existe um setor da sociedade que não parou foi da imprensa. Quando se vê imagens de uma festa clandestina sendo denunciada, é porque lá estava um repórter cinematográfico trabalhando. Se as pessoas assistem ou ouvem reportagens de hospitais lotados ou mesmo da vacinação, lá estão os jornalistas”.

Márcio Barros. Foto: Reprodução/Facebook/Márcio Barros

Segundo o vereador, o objetivo é oferecer proteção à esta classe de trabalhadores. “A minha intenção é colocar estes profissionais que estão sujeitos a todo momento a serem infectados, em um pouco mais de proteção. A área jornalística é muito ampla e seria exclusivamente para profissionais que trabalham na área externa”, afirmou Márcio Barros que trabalhou 20 anos como repórter, na Tribuna do Paraná e em outros veículos de comunicação, como a Rede Massa.  

LEIA AINDA – Número de óbitos no “ano da pandemia” cresceu mais de 21% no PR, dizem cartórios

A proposição vai ser analisada pelo plenário da Câmara Municipal e caso venha a ser acatada, a sugestão vai ser encaminhada para a prefeitura de Curitiba, que pode aceitar ou vetar a inclusão.

Covid entre os jornalistas

Vários profissionais de imprensa que trabalham nas ruas já foram infectados com a covid-19, entre eles, Marcel Mercúrio (Rede Massa e Band), Luís Carlos de Jesus (Band), Bruno Henrique (Band e Difusora), Robson de Lazzari (rádio Transamérica e Rede Massa) e Djalma Malaquias (Band B).

Vale reforçar que outros comunicadores foram contaminados, mas estes trabalham nos estúdios de televisão ou rádio. Cristiano Santos, apresentador da Band ficou 62 dias internado no Hospital Vitta, no Bairro Alto, em Curitiba, e Adilson Arantes (Rádio Difusora) ficou cinco dias na UTI.