Vinte e oito ordens judiciais estão sendo cumpridas, desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (24), pela Polícia Civil do Paraná. Os policiais estão atrás de suspeitos de um roubo de R$ 1,2 milhão contra uma empresa de pneus. A ação conta com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

+Leia mais! Curitiba manda retirar outdoors que incentivam tratamento precoce, sem comprovação científica

O roubo ocorreu na madrugada do dia 3 de maio de 2020, em uma empresa de pneus, na Cidade Industrial de Curitiba. Na ocasião, suspeito fortemente armados invadiram o local e fizeram refém três vítimas. Cerca de 15 homens participaram do roubo e levaram mais de 800 pneus e aparelhos celulares das vítimas. A empresa estima um prejuízo de R$ 1,2 milhões.

Segundo as investigações, coordenadas pelo delegado Victor Almeida, os mandados estão sendo cumpridos em Curitiba, região metropolitana, além dos estados de Minas Gerais, Mato Grosso e São Paulo. Os policiais civis devem cumprir seis mandados de prisão temporária, 16 ordens de busca e outros seis mandados de apreensão de veículos.

Ao serem ouvidas, as vítimas contaram que os suspeitos utilizaram três caminhões grandes, um caminhão baú e uma caminhonete SUV para levar os pneus. Além disso, os homens obrigaram e ameaçaram, para que as vítimas ajudassem no roubo.

Leia ainda! Curitiba divulga datas da vacinação contra covid-19 para idosos com mais de 71 anos

Ação ocorreu ainda na madrugada em Curitiba. Foto: Polícia Civil.

A investigação

A Polícia Civil fez oitivas, analisou imagens próximas ao local e realizou diversas diligências para identificar envolvidos no crime. Foi solicitado também apoio à PRF para identificar os caminhões utilizados no roubo.

Ainda durante a investigação, foi descoberto que trata-se de uma associação criminosa composta por diversos suspeitos com funções pré-definidas, desde os atos de preparação, de execução e de consumação após a prática dos crimes em apuração. Além disso, a organização possui ramificações atuantes no Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso.