Enquanto você ainda tenta entender e assimilar o tamanho do estrago que as comilanças no Natal provocaram em você – aliás, aqui já tem dicas fresquinhas de como emagrecer em 2019 – você olha pro canto da sala e pensa: quando é mesmo que tenho que desmontar o pinheirinho? Se você é pouco fiel às tradições religiosas, isso não importa muito. É só desmontar, ensacar e marcar o reencontro para dezembro do ano que vem. Mas, se você quer começar o período pós Natal “de bem” com o homem lá de cima, é bom ficar atento.

Montar a árvore de Natal é normalmente um evento. As famílias se reúnem e capricham para deixar o local bem ajeitado, iluminado e “brilhando”. Segundo a tradição cristã, existe uma data certa para desmanchar o pinheirinho. Segundo o calendário litúrgico – que marca os acontecimentos cronológicos dos evangelhos durante o ano – a tarefa deve ser feita exatamente no dia 6 de janeiro, no qual é celebrado o Dia de Reis.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

De acordo com os católicos, o dia encerra os festejos natalinos e marca a chamada “Epifania do Senhor” – momento no qual Cristo se manifestou aos homens, sendo apresentado primeiramente aos reis magos, Gaspar, Baltazar e Belchior. Não há precisão na origem desta determinação e a própria religião católica diz que não a data não é obrigatória, mas o dia ficou convencionado ao longo no tempo e a turma leva a sério.

 

Assim como na igreja católica, entre os protestantes, o dia 6 de janeiro também guarda significado especial. Nas igrejas protestantes o ‘tempo dos reis’ representa o início da contagem dos eventos que antecedem a Páscoa – uma das datas mais celebradas entre os evangélicos. Por isso, liturgicamente o período é importante.