“Meu medo era acontecer isso”, declarou Rene Vidal, 57 anos, sobre a prisão do filho Rodrigo Rodrigues da Silva, 27, suspeito de latrocínio (roubo seguido de morte).

Foi a própria família quem entregou o rapaz a uma equipe da Polícia Militar, em Fazenda Rio Grande, na noite da última sexta-feira (06), horas após o crime. Segundo a polícia, na manhã de sexta, um bandido entrou na casa de Ubiratan Oliveira, 54, na Rua Dinamarca, bairro Nações, em Fazenda Rio Grande.

A vítima reagiu e os dois entraram em luta corporal. Foi quando o marginal atingiu o homem com várias facadas, até a morte. Da residência foram levados objetos como televisão, furadeira, serra circular, relógios e perfumes.

De acordo com o delegado Fábio Machado, depois do crime, Rodrigo tentou se esconder na casa de uma ex-namorada, que não permitiu. Ele voltou para a casa da família, onde deixou parte dos objetos roubados. O restante ele trocou por drogas com traficantes da região.

“Mãe, matei o vizinho. E agora?”, foi assim que o rapaz contou a Rene o que tinha feito. Ela disse que, antes do crime, tinha prendido o filho no quarto com uma corrente, para que ele não fosse atrás de drogas.

No entanto, Rodrigo serrou o cadeado e conseguiu escapar. A mãe comentou que chegou a deixar o rapaz preso por uma semana em outra ocasião.  Rene disse que o filho usa entorpecentes desde os 20 anos. Desde então, foi internado diversas vezes.

“Ele fica dois, três dias e liberam. Já pedi muita ajuda, mas ninguém atendeu”, relatou. Emocionada, ela disse que espera que o filho receba tratamento. “Criei quatro filhos e só ele está assim. Não adianta só ficar preso e voltar depois, quero que ele se trate”. Rodrigo não quis dar declarações à imprensa. “Só falo em juízo”, afirmou o suspeito. Ele foi autuado em flagrante por latrocínio.