Para atender ao crescimento das exportações de veículos, a Renault do Brasil está contratando cerca de 600 trabalhadores para trabalhar na fábrica de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

De acordo com a Renault, em abril deste ano foram contratados cerca de 700 colaboradores para iniciar o terceiro turno parcial. Agora, a empresa está finalizando a contratação de mais colaboradores (cerca de 600) para complementar o terceiro turno. A principal razão das contratações, segundo a montadora, é a produção do Kwid, veículo lançado nesta quinta-feira (3) em São Paulo.

As vagas são todas operacionais para trabalhar em diferentes setores da linha de produção da Renault, como montagem, pintura, carroceria, entre outros. Os selecionados são efetivados como trabalhadores da Renault, mas os contratos são por tempo determinado de seis meses, podendo ser prorrogados por mais seis.

Seleção

De acordo com Eliane Catalano, gestora do recrutamento e seleção da RH Nossa, responsável pelo projeto da Renault, a seleção está aberta há cerca de 20 dias. Até agora, a RH Nossa recebeu cerca de 30 mil currículos para as vagas da montadora francesa.

Os trabalhadores interessados devem cadastrar o currículo e se candidatar às vagas diretamente no site da RH Nossa. O processo de seleção inclui avaliação dos currículos, teste de conhecimentos gerais, personalidade, dinâmicas de grupo e entrevista, além de teste prático na função a ser exercida e exames de saúde.

Além do salário, os aprovados recebem refeição no local de trabalho, vale mercado, plano de saúde e odontológico, seguro de vida e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) da empresa.

Investimentos

Na última terça-feira (1º), a montadora francesa anunciou que vai investir R$ 750 milhões na construção de uma nova fábrica e ampliação das plantas já existentes no Paraná, localizadas no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais. Os investimentos estão baseados no aumento das exportações pela Renault.