Funcionários da montadora de veículos Renault, instalada em São José dos Pinhais, aprovaram na tarde de quarta-feira (29) um conjunto de medidas que inclui plano de demissão voluntária (PDV), plano de demissão involuntária (PDI), regime de redução de jornada e layoff. As propostas são resultado da crise mundial de componentes que tem impactado o funcionamento da indústria automobilística.

LEIA TAMBÉM:

> Bêbado, empresário capota carro em Curitiba, sai correndo de incêndio e ainda agride equipe do Siate

> Curitiba retira 38 lombadas eletrônicas das ruas da cidade; veja o que vai acontecer!

> Curitiba altera decreto e “afrouxa” restrições da covid-19. Veja como ficou!

Com a escassez mundial de semicondutores – componente fundamental nos veículos modernos –, a Renault acumulou cerca de 37 dias sem produção em 2021 na planta paranaense. Com isso, a empresa alega perda de competitividade.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC), a proposta conjunta de empresa e sindicato visa a redução de 250 postos de trabalho via PDV e PDI. Além disso, a empresa deve implementar um regime de layoff – em que os funcionários não vão para a fábrica e têm seu salário reduzido – e de redução de jornada.

Ao todo, 550 trabalhadores, dos 5 mil empregados pela empresa, devem ser afetados. Todos da área de produção.

Web Stories

Pega Pega

Treta! Nelito dá um soco em Julio por causa de Cíntia

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz sabe!

Gigante!!

Nova Havan será quatro vezes maior que a loja que será abandonada em Curitiba

Pra curtir!

Novas atrações turísticas de Curitiba! Partiu conhecer?