Limpo, saudável, solidário e com um pratão cheio a R$ 3 (três conto). Em tempos de “carteira vazia” e poucas perspectivas de melhora da economia no Brasil, os Restaurantes Populares de Curitiba se tornaram opção para todos os públicos. São quase 5 mil pessoas que frequentam os cinco espaços na cidade a um custo barato para se alimentar, somado a um sentimento de dedicação de profissionais que não medem esforços para disponibilizar enormes pitadas de respeito e amor nos temperos da comida.

A alimentação começa a ser servida às 10h30 para a população. Uma fila se forma por volta das 11h, e percebe-se rapidamente um público variado. Com a pandemia do novo coronavírus (covid-19), a quantidade das pessoas que frequentam o restaurante aumentou por diversos fatores, seja pelo desemprego, aumento de moradores em situação de rua, volta das aulas e do trabalho presencial.

Morgiana Maria Kormann, nutricionista e coordenadora da rede de restaurantes da prefeitura desde 2011, reforça que o local atende a um público variado, mas na maioria são idosos. “Em uma pesquisa de realizamos, 50% eram idosos e o restante eram trabalhadores do entorno, desempregados ou moradores em situação de rua e até estudantes. O serviço não parou na pandemia, pois é considerado serviço essencial”, explicou Morgiana.

+ Leia mais: Curitibana que distribui amigurumi a crianças do Hospital Erastinho pede doação de fios para ampliar doações

Ainda de acordo com a coordenadora, a novidade foi a marmita, que antes não existia. “No começo da pandemia teve uma queda na procura, mas depois aumentou demais. Muitos perderam emprego e hoje servimos 1800 refeições somente aqui na Rui Barbosa”, comentou.

Foto: Gerson Klaina/Tribuna do Paraná.

Em Curitiba, o primeiro Restaurante Popular foi inaugurado em agosto de 2007, na época do ex-prefeito Beto Richa. A inauguração contou com o ex-ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias. Localizado na Rua da Cidadania da Matriz, na Praça Rui Barbosa, no Centro, o espaço segue funcionando e atendendo da mesma maneira. Atualmente, além da Matriz, existem outras quatro unidades na capital (Capanema, Sítio Cercado, Pinheirinho, CIC/Fazendinha), onde são servidas 4,7 mil refeições, diariamente, somando todos os espaços.

O serviço das equipes que trabalham em um Restaurante Popular começa cedo. No caso da Matriz, são 35 funcionários que iniciam a atividade profissional às 6h, separando o arroz, feijão, carne, legumes e a sobremesa. São cozinheiros, nutricionistas, auxiliares de serviço geral e limpeza que cuidam de todos os procedimentos para que o consumidor tenha qualidade até o momento de deixar a bandeja com o prato e talheres para serem limpos para o dia seguinte. Aliás, o ambiente é extremamente limpo.

E a comida?

É caprichado e vale muito à pena. O cardápio é alterado todos os dias e preparado por nutricionistas. A ideia é valorizar o arroz e o feijão, dupla que não pode faltar no prato do brasileiro. Por isso, a pessoa que vai consumir no Restaurante Popular se serve do arroz e do feijão, mas a carne, os acompanhamentos e a sobremesa são colocadas no prato pelo funcionário. A explicação é de fácil entendimento, pois tem pessoas que só terão essa alimentação durante todo o dia.

Leia mais

>> Salão Marly completa 50 anos em Curitiba; conheça o segredo do sucesso contado pela “empoderada” Marly

>> Diarista de Curitiba inova no plano de negócio e bomba nas redes sociais

Stefanie Mangini, 25 anos, nutricionista, relata que essa situação é comum. “O público de modo geral é muito carente, e o arroz e feijão irão proporcionar uma energia para o dia inteiro, pois em alguns casos somente vai ter essa refeição. Ficamos sempre atentos com eles e acredito que estamos no caminho certo”, disse Stefanie, que trabalha ao lado da cozinheira Adriana Hei, que costuma ouvir as opiniões da galera.

“É muito interessante esse contato. Grande parte elogia, mas tem outros que falam que está salgado ou sem sal, mas isso faz parte. Seguimos uma ficha técnica que elabora a preparação”, reforçou a cozinheira que prepara pratos especiais em algumas sextas-feiras, como feijoada e barreado.

Marina Rezevel frequenta todos os dias o Popular e valoriza o atendimento. Foto: Gerson Klaina/Tribuna do Paraná.

Para quem trabalha na região Central, a opção pelo Restaurante Popular da Matriz é perfeita, pois une alimento fresco com preço baixo. Marina Rezevel, 52 anos, encarregada da limpeza de um colégio, frequenta todos os dias o Popular, e valoriza o atendimento. “É uma ótima opção, pois a comida é boa e ainda é barata. Hoje em dia, qual lugar você irá comer tão bem pagando R$ 3? Um refrigerante custa mais que isso. A comida é balanceada, saudável e não é industrializada. A alimentação é bem típica do brasileiro, arroz e feijão, uma carne, salada e uma fruta”, elogiou Marina.

Até quem tem uma condição financeira um pouco melhor se atrai pelo restaurante, para guardar uns trocos nesses dias atuais, que estão difíceis para qualquer um. Alcides Ferreira, 48 anos, funcionário público, imagina que economiza em média R$ 160 mensais por se alimentar em um Restaurante Popular. “Venho pela qualidade e custo. Pagaria no mínimo R$ 12 esse prato em outro estabelecimento e paguei R$ 3. Se colocar na balança, eu economizo bem e posso gastar em outras coisas, como no Armazém da Família, que fica aqui pertinho”, afirmou Alcides.

E vai aumentar o valor?

“Não”. A promessa é da prefeitura de Curitiba. Atualmente, o investimento anual da cidade é de R$ 5 milhões para manter os restaurantes. E, segundo a administração, mesmo tendo um processo licitatório ocorrendo, o custo de R$ 3 por pessoa vai permanecer. Aliás, o pequeno preço cobrado atrai solidariedade na fila. Para quem não tem essa grana, é fácil de ver um pagando para o outro a alimentação. “Percebo a socialização e cumprimos uma função social especialmente com idosos. As pessoas pagam uns para os outros, muitas vezes, e o custo permite ajudar a quem tem fome. É um programa muito importante e não pode parar”, completou a coordenadora da rede de restaurantes.

Locais de Atendimento

Restaurante Popular Capanema

Endereço: Rua Ubaldino do Amaral, 1671

Telefone: (41) 32292555

Restaurante Matriz:

Endereço: Praça Rui Barbosa,101

Telefone: (41) 3322-3574

Restaurante Popular Pinheirinho

Endereço: Rua Marechal Rondon, 40

Telefone: (41) 3246-2667

Restaurante Popular Sítio Cercado

Endereço: Rua Mercúrio, 420

Telefone: (41) 3286-5126

Restaurante Popular CIC / Fazendinha

Endereço: R. Raul Pompéia, 190

Telefone: (41) 3229-2555