Finalmente saiu. Depois de muito trabalho burocrático, a ONG Anjo Felipe nasceu e poderá, agora que está legalmente constituída, ajudar ainda mais crianças que sofrem com diversas doenças ou limitações. A instituição é comandada por José Eduardo Fernandes, mais conhecido como o “pai do Felipe” ou o “homem da Rifa“. Aliás, elas, as rifas, são um verdadeiro sucesso e as principais responsáveis por mudar a vida de muitas dessas crianças.

Até agora já foram rifados 18 carros “clássicos”, entre Fuscas, Kombis e até um Buggy foram sorteados entre os participantes. Numa conta simples, foram vendidos mais de 18 mil bilhetes, cada um deles com renda revertida para manter a linda corrente do bem criada pelo “pai do Felipe”.

+ Caçadores de Notícias: Claiton mudou de vida e voltou pra casa após 30 anos, mas não consegue mais sorrir pois perdeu os dentes; bora ajudar?

O Felipe, aliás, você lembra né? Ele é personagem de reportagens aqui da Tribuna desde desde 2016, quando era muito novinho. Já contamos a história dele e do José Eduardo Fernandes algumas vezes. Pela seriedade do trabalho que ele desenvolve, pela forma com que os leitores da Tribuna “compraram essa ideia”, seguimos contando essa história a cada novo capítulo.

Fusca Itamar branco é o carro da vez. Que tal tentar a sorte e ainda fazer o bem? Foto: Reprodução.

“Estou bem mais confiante de que estamos no caminho certo. Isso (a legalização da ONG) vai abrir muitas outras portas e passar mais credibilidade ainda para os participantes das rifas”, orgulha-se José Eduardo.

Histórico de boas ações

A ONG Anjo Felipe nasceu a partir destas rifas de veículos antigos que tinham o único objetivo de ajudar no tratamento do Felipe Oliveira Fernandes, portador de paralisia cerebral. Com o passar do tempo, as ações foram se tornando mais populares e, com isso, foi possível estender a ajuda a outras crianças e jovens – 35 delas já foram assistidas diretamente -, por intermédio da doação de fraldas e cestas básicas. O Instituto AMA, por exemplo, recebe ajudas mensais em dinheiro, provenientes das rifas.

O objetivo é ampliar ainda mais o atendimento e o tamanho dessa corrente do bem. Isso fará com que as rifas sejam ainda mais atraentes. “Faremos rifas em que o frete será pago até a casa do ganhador, em qualquer lugar do Brasil, e com a transferência do veículo garantida. Isso tende a atrair participantes de todo o Brasil. Queremos ajudar não só pessoas da nossa cidade, mas também crianças especiais em situação crítica do país inteiro”.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por #RIFAS DO BEM Amigos do Felipe (@rifas_do_bem_oficial)

+ Leia também: Sebo Estação 80, em Curitiba, tem tudo dos anos 80: Brinquedos, relíquias e objetos clássicos

Mais do que as rifas, o trabalho da ONG visa a arrecadação por intermédio de doações de cestas básicas, fraldas geriátricas e roupas. “Quem quiser também poderá doar dinheiro direto na conta da ONG, que está em processo de finalização com o banco, e abater uma parte do imposto de renda do ano que vem. Todo o dinheiro será revertido para as crianças e suas famílias”, concluiu José Eduardo Fernandes.

Rifas ativas

Na semana passada o Rifas do Bem entregou uma Kombi irada. Atualmente, são duas rifas com números disponíveis. Uma de um Fusca Itamar branco 1994 (>>> clique aqui <<< para comprar seu bilhete) lindo de morrer e outra uma moto, a primeira da instituição. Trata-se de uma motocicleta modelo custom Kawazaki Vulcan 1995, que você pode concorrer >>> clicando aqui <<< para comprar um bilhete.

O site direto das rifas é o Amigos do Felipe.

Como ajudar?

Felipe e José Eduardo Fernandes. Foto: Arquivo Pessoal

Por enquanto estão ativas as várias contas disponíveis para quem comprar a rifa, enquanto a conta da ONG está sendo finalizada junto ao banco.

Como referência e sugestão, fica para depósitos a seguinte conta

Banco do Brasil
José Eduardo Fernandes da Silva
CPF: 288.060.568-75
Agência: 3390-1
Conta/Corrente: 44323-9

Ou PIX, com a chave 288.060.568-75 (CPF)

A prestação de contas é feita direto no site www.anjofelipe.com e nas redes sociais do projeto, Instagram ou Facebook.