O Imóveis Curitiba, site especializado em anúncio de imóveis em Curitiba apresenta um levantamento, que traz informações sobre o valor dos imóveis para venda e locação negociados na capital paranaense.

O estudo tem como base os mais de 2 milhões de anúncios mensais do portal e considerou as nove regiões administrativas da cidade: Matriz, Cidade Industrial, Santa Felicidade, Fazendinha-Portão, Boa Vista, Cajuru, Boqueirão, Pinheirinho e Bairro Novo.

De acordo com o Imovelweb Index, no mês de janeiro, o valor médio dos aluguéis na capital paranaense registrou uma queda de 0,2% e recuo acumulado de 2,5% nos últimos 12 meses. O preço médio da locação na cidade, tendo como base um apartamento de 65 metros quadrados e dois dormitórios, ficou em R$ 941,00.

As regiões administrativas de Curitiba com os preços mais elevados para aluguel foram: Matriz (R$ 1.125,00), Cidade Industrial (R$ 1.079,00) e Santa Felicidade (R$ 1.067,00). Mesmo ocupando a segunda posição entre os aluguéis mais caros, a região de Cidade Industrial registrou uma queda de 2,1% em janeiro e acumulado de -8,5% nos últimos 12 meses.

Além disso, o estudo também listou as regiões com maior e menor valor de imóveis para venda. Em janeiro, o valor médio do m² em Curitiba ficou em R$ 4.598,00, com valorização de 0,3% no período e 3,0% nos últimos 12 meses. O m² mais valorizado está na região da Matriz, com média de R$ 6.291,00, valor 36% superior à média da capital paranaense.

Ainda de acordo com o levantamento, os bairros com maior valor do m² para venda foram: Barigui (R$ 7.352,00), Centro Cívico (R$ 7.148,00), Alto da Glória (R$ 6.866,00), Alto da XV (R$ 6.866,00) e Batel (R$ 6.754,00).

Na outra ponta do ranking, os bairros com menor valor para venda foram Tatuquara (R$ 2.830,00), Campo de Santana (R$ 2.907,00), Umbará (R$ 3.172,00) e Sitio Cercado (R$ 3.280,00).

A rentabilidade anual com aluguel de imóveis na cidade de Curitiba está em 4,0%. Os destaques ficam para os bairros de Capão da Imbuia (5,2%), Campina do Siqueira e Mossunguê (5,1%), Ecoville (4,9%) e Campo Comprido e Santa Quitéria (4,8%).