A Sanepar identificou o produto que trouxe queda de qualidade na captação. Após análises de técnicos da companhia estadual de abastecimento foi confirmada a presença de produtos com características de formação de espuma e viscosidade similar a vários tipos de detergentes. A Companhia Paranaense de Saneamento já iniciou investigação e promete começar um processo criminal para identificar a origem desse material. A companhia trabalha com a hipótese de sabotagem. Por conta do problema, a Sanepar suspendeu o rodízio na área afetada.

A possível sabotagem afetou 900 mil pessoas em Curitiba e região metropolitana e deixou a população preocupada quanto à qualidade da água. Ainda na noite desta terça-feira a Sanepar retomou a captação de água no rio e nesta manhã desta quarta-feira (16), a estação de água voltou ao normal com o reservatório.

Segundo Sanepar às 23 horas de terça-feira (15), foi iniciado a abastecimento nos reservatórios que recebem água a partir da unidade de tratamento do Iguaçu. O processo seguiu até às 5h da manhã quando a água chegou no bairro Parolin. A Sanepar informou ainda que moradores do Portão podem enfrentar alguns problemas pontuais, mas que a companhia está atenta para intervir e que a produção está na capacidade máxima.

+Leia mais! Pouca chuva e consumo elevado forçam Governo a ampliar situação de emergência hídrica no PR

O centro de testes da Sanepar realiza de hora em hora testes para verificar a qualidade do Rio Iguaçu, procedimento que é realizado normalmente. O Instituto Água e Terra (IAT), do governo do estado, encaminhou técnicos para verificar a qualidade da água na região com suspeita de contaminação e assim investigar se a contaminação deu-se pelo aumento de chuvas ou lançamento de poluentes por alguma empresa da região. Uma equipe retornou nesta quarta-feira no Rio Pequeno, afluente do Rio Iguaçu.

Sanepar suspende rodízio em área afetada

A situação de suspeita de contaminação gerou a suspensão do abastecimento em bairros de Curitiba e região metropolitana. Segundo a Sanepar, o rodízio foi suspenso na região atendida pela Estação de Tratamento de Água do rio Iguaçu até o dia 18 de dezembro ( sexta-feira). Depois disto, a região volta a entrar na alternância de 36 h por 36 horas de água. O Paraná atravessa a pior crise hídrica da história.

Os bairros sem rodízio são: Uberaba, Cajuru, Abranches, Bigorrilho, Bom Retiro, Mercês, Pilarzinho, São Francisco, São Lourenço, Vista Alegre, Cascatinha, São João, Água Verde, Guaíra, Fanny e Lindóia.