São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, é a terceira cidade do país que mais recebeu verbas do Programa de Proteção ao Emprego (PPE) no último ano (entre agosto de 2015 e junho de 2016). Sozinho, o município garantiu 5,2% dos recursos do programa, criado pelo governo federal para tentar evitar demissões.

A lista com os maiores beneficiados foi divulgada nesta terça-feira (23) em reportagem do jornal Valor Econômico. São Bernardo do Campo (SP) está no topo do ranking, com 44,7% dos recursos, seguido por Taubaté (SP), com 12,7%.

No total, os funcionários incluídos no programa receberam R$ 156,8 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) no último ano. Para evitar demissões, o PPE prevê redução de jornada com diminuição proporcional de salários – até metade do corte na remuneração é coberta pelo fundo.

A participação dos três municípios no topo dos beneficiados se deve (e muito) à indústria automotiva, que concentrou 66% dos recursos repassados pelo fundo no último ano, segundo o Valor Econômico. Em São Bernardo do Campo, por exemplo, somente a Mercedes-Benz, Volkswagen e Ford somaram R$ 68,2 milhões em benefícios.

Já em São José dos Pinhais a empresa beneficiada é a Volkswagen, que prorrogou em junho deste ano sua adesão ao PPE – desde dezembro de 2015, quase 2,8 mil trabalhadores da montadora estão trabalhando com jornada e salários reduzidos.