O prefeito de Curitiba Rafael Greca aproveitou seu discurso nesta segunda-feira (1º), durante a primeira sessão on-line da Câmara Municipal, para comentar sobre o trabalho da Guarda Municipal e da Vigilância Sanitária durante a pandemia. Segundo Greca, a Vigilância já gerou 35 mil ações de fiscalização, parte delas geraram multas a estabelecimentos e civis.

LEIA TAMBÉM – Cliente agride funcionário de supermercado com skate após se recusar a usar máscara

“Se os neurônios não funcionam, que arda o bolso”, revelou o prefeito, que promete reforçar a Guarda Municipal e endurecer a punição para quem não segue as regras como o uso de máscara, ou promove aglomerações.

O prefeito também comentou sobre seu interesse em adquirir vacinas com recursos do fundo anticrise. “São 500 milhões de reais para somar com o Plano Nacional de Imunização. Eu quero comprar vacinas, não para furar fila, mas para aplicar o Plano Nacional com rapidez e necessidade”, explicou.

Multas mais duras

Para diminuir a ocorrência de aglomeração, a prefeitura resolveu endurecer a punição a quem desrespeitar a lei para conter a pandemia. Até agora, sete pessoas já foram multadas por não utilizar máscara facial.

No caso de festas clandestinas, antes da nova lei apenas o dono do imóvel e o organizador do evento estavam suscetíveis a multas. Agora, qualquer pessoa que esteja em uma festa clandestina pode ser multada no valor que vai de R$ 150 a R$ 500. Já para os estabelecimentos e organizadores de eventos, a multa pode chegar a R$ 150 mil.