A previsão do tempo em Curitiba e região para a semana que vem traz geadas e temperaturas baixas a partir da terça-feira (27), quando os termômetros podem registrar 4º C. Seria a primeira semana com frio de verdade no Paraná. Porém, se a formação de um ciclone subtropical em alto-mar se confirmar nesta terça-feira (20), a previsão pode mudar e não esfriar tanto na semana que vem.

LEIA TAMBÉM – Erro em sorteio da Lotomania e silêncio da Caixa põem credibilidade do sistema em xeque

De acordo com as Normas da Autoridade Marítima para Meteorologia Marítima (NORMAM-19), para que haja a classificação do ciclone como tempestade subtropical e a sua nomeação, os ventos deverão ser iguais ou superiores a 34 nós. E poderá ser este o caso. O Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) aponta que o epicentro do ciclone está entre o leste da costa de Santa Catarina e o sul da costa do Rio de Janeiro, com lento deslocamento para leste/nordeste.

LEIA AINDA – Novo ferry-boat de Guaratuba é alvo de reclamações por filas e problemas em balsas

“A atuação deste sistema meteorológico poderá causar ventos sustentados de até 40 nós (75 km/h) nos setores norte e oeste do ciclone e ventos de até 47 nós (até 87 km/h) nos setores leste e sul do ciclone, até a manhã do dia 22 de abril”, diz a nota do CHM.

Interferência do ciclone

Segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), dependendo da movimentação do ciclone, a previsão do tempo para o início da semana que vem pode mudar significativamente e não esfriar tanto. A expectativa para a chegada do frio depende da passagem de uma frente fria pelo Paraná, no fim de semana, a qual deixará um ar mais frio e seco pela metade Sul do estado. “Se o ciclone se confirmar, pode ser que haja alguma interferência nas condições previstas”, explica o meteorologista Lizandro Jacóbsen, do Simepar.

Ainda segundo Jacóbsen, a previsão de frio até se mantém, mas o Simepar aguarda até o fim desta semana para avaliar que tipo de alteração o sistema de alta pressão em alto-mar pode ocasionar, com a confirmação de ciclone. “Ainda não dá para prever se a geada, se o alerta de geada se mantêm. Vamos aguardar até a quinta-feira (22) ou sexta-feira (23) para ter os efeitos do ciclone mais claros. Se houver alteração, o frio deve se manter, só não teremos temperaturas tão baixas. Uma presença de umidade pode surgir em Curitiba e barrar a queda brusca na temperatura”, explica o meteorologista.

LEIA TAMBÉM – “Eu não vou ajudar drogado”. Comunidade terapêutica sofre com preconceito e pede ajuda

Além da interferência na previsão do tempo, os ventos associados ao ciclone poderão ocasionar agitação marítima com ondas, em alto-mar, com alturas de até 6 metros até a noite da próxima quinta-feira (22). De acordo com o CHM, a agitação marítima poderá provocar ressaca com ondas entre 2,5 e 3 metros no litoral dos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná e de São Paulo, ao sul de Santos, entre a manhã desta terça-feira (20) e a manhã do dia 22 de abril.

A Marinha do Brasil mantém todos os avisos de mau tempo em seu site. A Marinha ainda pede aos navegantes que consultem as informações antes de seguirem para o mar.