Blitze e atividades educativas serão realizadas em todo o Paraná nesta Semana Nacional do Trânsito, que este ano tem como tema “Eu sou +1 por um Trânsito + Seguro”. A programação é organizada por órgãos públicos ligados à gestão e fiscalização do trânsito, com a participação de parceiros privados.

Dentre as atividades programadas pelo Detran estão blitze educativas, abordagem de pedestres, circuito de bike para crianças, ações em bares e orientações de transporte seguro de animais de estimação. O Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) farão blitze educativas, encontro de carros antigos e palestras voltadas à conscientização dos motoristas e pedestres. O objetivo é fazer com que a população entenda a importância da atenção e do respeito no trânsito, para reduzir acidentes, atropelamentos, número de feridos e de mortes.

“No Paraná, todos os anos, são registradas 3 mil mortes em acidentes de trânsito e 90% destes acidentes são resultados de falha humana, imperícia ou imprudência”, explica o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

Amanhã, o Detran e a PM farão blitzs educativas em 140 pontos do Estado. O objetivo é aliar fiscalização e educação para o trânsito. “Esse é um momento de conversamos com todos os envolvidos no trânsito e com os parceiros. Além da entrega de folder, queremos dirimir dúvidas e conscientizar os condutores e pedestres por um trânsito mais seguro”, reforça o tenente do BPTran Ismael Veiga.

Dia sem carro

A Secretaria de Trânsito de Curitiba (Setran) também promoverá várias ações voltadas à segurança do trânsito na cidade, com destaque para a celebração do Dia Mundial sem Carro na quinta-feira e o fechamento para os carros de trechos de várias ruas de Curitiba para atividades recreativas e esportivas. Nos locais, também serão distribuídos folhetos educativos sobre os perigos da utilização de fones de ouvidos e celulares no trânsito.

“A Semana Nacional de Trânsito é um momento de reflexão. As ações deste ano em Curitiba remetem a avanços como a redução de mortes e política de educação do trânsito, assim como a queda de infrações e a maior interação da cidade com o tema mobilidade segura”, diz a secretária municipal de Trânsito, Luiza Simonelli.

transito2

Programação

De hoje (19) até sexta (23)

– Ação “Conhecendo o Trânsito”: vai apresentar o trabalho do Corpo de Bombeiros, do Instituto Paz no Trânsito (Iptran), das polícias e de outros parceiros para 800 crianças da rede estadual de ensino no Museu Oscar Niemeyer.

Segunda-feira (19)

– Às 9h, na Escola Pública de Trânsito (EPTran), a Setran e a Michelin anunciam o início de um projeto-piloto em Curitiba para a gestão de pneus, da condução e educação técnica e comportamental em ônibus do transporte coletivo. Setran entrega certificados aos alunos da rede municipal de ensino que venceram o concurso cultural “Use sua criatividade para mostrar como tornar o trânsito curitibano mais harmonioso: compartilhamento e convivência entre todos os modais”. Serão apresentadas novidades no circuito educativo da EPTran.

Terça-feira (20)

– Blitze em Curitiba: Avenida Prefeito Maurício Fruet (próximo ao terminal do Capão da Imbuia); Rua Doutor Roberto Barrozo; Rua André Ferreira Barbosa (ao lado do terminal do Pinheirinho); Avenida Batel, 1.149; Avenida Nossa Senhora da Luz (próximo a Fagundes Varella); Avenida Comendador Franco (sentido São José dos Pinhais); Rua Desembargador Westphalen, 2.649; Rua João Negrão com Rua Baltazar Carrasco dos Reis e Rua General Mario Tourinho, 978.
– Campanha “Se Liga no Trânsito – Se beber não dirija” estará nos bares em frente a Pontifícia Universidade Católica do Paraná das 20h às 22h.
– Ação educativa “Sinal Amarelo”: agentes da Setran estarão nas entradas da Área Calma e em dois cruzamentos da Via Calma distribuindo folhetos sobre a importância de se reduzir a velocidade e nunca acelerar quando o semáforo está na luz amarela.

Quarta-feira (21)

– Ação educativa “Travessia Segura”: agentes da Setran farão distribuição de folhetos educativos de trânsito em três locais de travessia crítica para pessoas com mobilidade reduzida (idosos e pessoas com deficiência): Praça Ouvidor Pardinho, Rua dos Funcionários com Rua Joaquim José Pedrosa e Av. Mal. Floriano Peixoto com Av. Silva Jardim.

Quinta-feira (22)

– Dia Mundial sem Carro e fechamento de trechos de várias ruas de Curitiba para atividades recreativas e esportivas. Nos locais, também serão distribuídos folhetos educativos sobre os perigos da utilização de fones de ouvidos e celulares no trânsito.
– Das 11h às 17h, o Detran fará uma ação para donos de animais estimação no “Parcão”, localizado atrás do Museu Oscar Niemeyer. Será feita demonstração sobre o uso correto de acessórios para transportar os animais em veículos. Das 11h às 16h30, as crianças podem ouvir histórias que educam sobre o comportamento seguro no trânsito e os adultos, consultar os serviços de habilitação e veículos disponíveis no Detran Móvel. Das 15h às 17h, o Corpo de Bombeiros fará apresentações dos cães de busca e salvamento.

Sábado (24)
– Setran participa da primeira edição do iCities Kids, ao lado do Salão de Atos do Parque Barigui. Evento destaca a montagem de uma “minicidade inteligente” e aborda educação no trânsito e mobilidade, sustentabilidade, geração de energias renováveis e robótica.

Crianças ainda estão muito vulneráveis

Acidentes de trânsito são considerados uma epidemia global, pois todos os anos matam cerca de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo. As crianças são um dos grupos mais vulneráveis a esse tipo de acidente, pois seus corpos são mais frágeis e elas ainda não sabem reconhecer o perigo e nem avaliar corretamente a distância e velocidade de um veículo em movimento.

No Brasil, o trânsito é a principal causa de morte acidental de crianças e adolescentes com idade de zero a 14 anos. Em 2014, 1.654 crianças desse faixa etária morreram no país por esse motivo. Desse total, 34% eram passageiras de veículos, 29% eram pedestres, 11% estavam em motocicletas e 6% eram ciclistas. Em relação a internações, em 2015, 12.979 crianças foram internadas devido a acidentes de trânsito, sendo 34% pedestres, 26% em acidentes de moto, 19% na condição de ciclista, 8% como ocupante de veículos e 13% das ocorrências estão na categoria “outros”.

Os dados apontam que, apesar da aprovação da Lei da Cadeirinha, o número de mortes de meninos e meninas ocupantes de um veículo ainda é muito alto. “Esse número demonstra que ainda há resistência ao uso desses dispositivos, que são o meio mais eficaz para garantir a segurança das crianças dentro de um carro”, explica Gabriela Guida de Freitas, coordenadora nacional da Criança Segura. Estudos americanos demonstram que as cadeirinhas, quando instaladas corretamente, reduzem em até 71% os riscos de óbitos em caso de acidente. Não é só dentro do carro que a criança corre perigo.cadeirinha