“Aluga-se para a dengue, fone: 156”. Este é o recado estampado na placa confeccionada pelos moradores do Bairro Alto para chamar a atenção da prefeitura de Curitiba para o terreno na Rua Alberico Flores Bueno, entre Rio Pelotas e Rio Tietê. Serviço de terraplanagem interrompido formou enorme lago de água parada no local. Com medo da dengue, a vizinhança resolveu ironizar a situação.

“Isso é um absurdo. Fazem tanta campanha contra a dengue e depois deixam um negócio desses aí”, reclama o aposentado Vigol Baldo. O comerciante Acir Matos concorda. “Os agentes sanitários fiscalizam a casa da gente a cada 15 dias. Ficam só olhando ralo e vaso de flor e acham que o mosquito não vai atravessar a rua.” O comerciante José Dimas conta que o local já virou até pista de rally nos fins de semana. “É um depósito de dengue”, protesta.

Limpeza

Moradores contam que, após reclamações na semana passada, apareceram tratores no terreno e fizeram uma valeta para escoar um pouco da água e retiraram a placa. Mesmo assim, a medida não solucionou o problema, porque ainda há o acúmulo de água parada.

Os proprietários do terreno, que está à venda, foram alvo de duas notificações. No dia 16 de fevereiro, por parte da Secretaria Municipal da Saúde. Agentes estiveram no local e viraram quatro latas, que poderiam formar criadouros do mosquito da dengue. A Secretaria Municipal de Urbanismo foi acionada e, em 28 de fevereiro, notificou os donos para fazer a limpeza da parte da frente do terreno, já que o interior havia sido limpo após a fiscalização da Saúde.